Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

Homeopatia na Suíça


Porque as medicinas alternativas são cobertas pelo seguro de saúde


Por Por Ying Zhang e Jie Guo Zehnder, swissinfo.ch


A Suíça está nadando contra corrente com a sua decisão de atribuir às terapias complementares o mesmo papel que a medicina convencional. É um caso da vontade do povo conquistar a ciência?

A homeopatia é uma das terapias alternativas mais procuradas na Suíça.  (Keystone)

A homeopatia é uma das terapias alternativas mais procuradas na Suíça. 

(Keystone)

"Absurdo. '' Inaceitável. '' Surpreendente. '' Desperdício de dinheiro dos contribuintes” 'Estes foram alguns dos comentários no Facebook, quando swissinfo.ch publicou a notícia no final de março que o governo iria reconhecer terapias alternativas.

Mas a Swiss Medic, organização competente para autorizar remédios e tratamentos discorda Ao final do procedimento de consulta entre os partidos políticos e especialistas (algo que sempre ocorre na Suíça antes da entrada em vigor de uma lei, a Sociedade Suíça de Medicina Geral e Interna (SGAIM) e a Associação Médica Suíça (FMH), juntamente com os principais partidos, apoiou a decisão do Ministério do Interior, também responsável pela Saúde.

Homeopatia na Suíça

Em 1999, o Ministério do Interior anunciou que o custo de vários métodos clínicos alternativos (incluindo TCM e homeopatia) seriam incluídos no seguro básico de saúde por um período experimental de seis anos.

Em 2005, as terapias de medicina complementar e alternativa foram excluídas da lista devido ao seu fracasso em cumprir a exigência legal de eficácia.

Em resposta à iniciativa popular “medicina complementar e alternativa”, o governo propôs um projeto mais moderado em 2009, que foi aprovado pela maioria dos eleitores.
Em 2012, os tratamentos alternativos voltaram a ser cobertos pelo seguro básico de saúde por um período experimental.

Em 29 de março de 2016, o Ministério do Interior anunciou que quatro terapias complementares, incluindo homeopatia e medicina tradicional chinesa, terão o mesmo estatuto que a medicina convencional. A nova política entrar em vigor em maio de 2017.

Somente um placebo?

A homeopatia é o tratamento alternativo, mais procurado na Suíça. Segundo a Secretaria Federal de Saúde, as despesas anuis com tratamento homeopático são de 50 milhões de francos suíços. Por sua vez, a Secretaria de Estado da Economia (SECO). Estima que o total é de 31 milhões. Em todo caso, as despesas aumentam.

"O segredo da homeopatia é o seu efeito placebo", disse Luojin LYU, um médico que escreve para vários meios de comunicação chineses e é um renomado autor da ciência popular. LYU tem trabalhado como um profissional na China, Japão e Estados Unidos. Segundo ele, quando a pessoa está doente ou frágil, fica tão desesperada que está disposta a tentar qualquer coisa.

LYU estudou a relação preço-qualidade da homeopatia. "O custo médico da homeopatia é extremamente baixo. Se uma criança tem febre e requer assistência médica de emergência nos EUA, 600 a 700 dólares é uma estimativa conservadora. Mas, por menos US $ 20, pode-se comprar uma embalagem de pílulas homeopáticas no supermercado ".

A medicina homeopática não tem efeitos colaterais. "O componente básico é apenas água. O único efeito colateral é o risco de doenças não serem tratadas adequadamente a tempo. " Um dos membros da família do Lyu escolheu a medicina alternativa, quando estava gravemente doente; isso levou ao agravamento dos sintomas do paciente devido a um atraso no tratamento. "Quando da prescrição de medicamentos aos pacientes, os médicos devem ter em mente que o critério mais importante não é seus efeitos colaterais, mas a sua eficácia", disse ele.

Como provar a eficácia?

Pesquisas sobre a eficácia da homeopatia estão em andamento. Em um relatório suíço lançado em 2012, a homeopatia foi confirmada como "valiosa para o contexto médico convencional". Porém, essa conclusão foi contestada por estudos médicos em outros países com conclusões consideradas sem fundamento, uma vez que não incluem os mesmos ensaios clínicos de controle, avaliação e validação das terapias convencionais.

Do ponto de vista da medicina ocidental, os testes clínicos em larga escala é a forma mais reconhecida de provas científicas. Os estudos de homeopatia realizados pelo Conselho Nacional de Pesquisas Médicas da Austrália (NHMRC) em 2013 e 2015 foram considerados os mais autênticos.

De acordo com LYU, isso é porque os estudos incluíram uma quantidade considerável de amostras e de várias regiões. "Várias condições de saúde, pacientes e nações constavam desse estudo", acrescentou. Na conclusão do NHMRC, "As pessoas que escolhem a homeopatia podem colocar sua saúde em risco, se rejeitam ou retardam tratamentos em que há evidência de segurança e eficácia."

SantéSuisse, orgão das seguradoras de saúde, argumenta que os métodos padronizados usados para testar os tratamentos convencionais não podem ser aplicados à homeopatia. "Seria injusto para a homeopatia exigir as metodologias terapêuticas convencionais para avaliar sua eficácia. O risco potencial é que esses métodos sistemáticos e internacionalmente reconhecidos da ciência biomédica sejam contrários aos princípios subjacentes da homeopatia ", disse o porta-voz de SantéSuisse Christophe Kämpf.

A democracia derrotou a ciência?

 Em comunicado à imprensa, no final de março, a Secretaria Federal de Saúde da Suíça informou que "até agora, não se encontrou nenhuma evidência de prova que terapias complementares e alternativas sejam eficazes e justifiquem os custos."

O porta-voz da Secretaria Federal de Saúde, Daniel Dauwalder, lembra que a decisão de incluir as terapias alternativas nos seguros de saúde foi tomada pelos eleitores em referendo realizado em 2009.

"O sistema de seguro de saúde icobre o custo das terapias alternativas, de acordo com o princípio da confiança", explicou Dauwalder. Ele acrescentou, porém, que se os padrões de eficácia, adequação e economia são colocados em causa SantéSuisse tem o direito de negar o pagamento.

Implementação

A eficácia da medicina complementar e alternativa não é o cerne da questão. Oi importante é como implementar a política do governo; como garantir que a saúde dos pacientes não será comprometida por médicos não qualificados, promovendo um tratamento eficaz e como as seguradoras de saúde vão lidar com os desafios potenciais.

Homeopatia no mundo

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o uso de tratamentos homeopáticos ainda é comum hoje em mais de 80 países. Mais de 20 países a reconhecem como medicina alternativa. Os custos são cobertos pelos seguros de saúde em vários países como Reino Unido, França e Luxemburgo. Porém, na Bélgica e Áustria a homeopatia deixou de ser reembolsada supostamente por ser ineficaz. 

A Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos permite a venda de medicamentos homeopáticos, mesmo se eles não oferecem provas conclusivas de sua segurança e eficácia. São mais recomendados para tratar "doenças agudas autolimitadas", como entorses, frio ou alergias.

 

E você, tem alguma experîência com a homeopatia? Sua história nos interessa!

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.





Adaptação: Claudinê Gonçalves, swissinfo.ch

×