Direto para o contenido
Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

ONU


Suíça vai participar da reforma da ONU em Genebra




O Palácio das Nações, em Genebra, sede europeia das Nações Unidas, será completamente remodelado e um novo edifício também será construído. 

Uma das muitas salas dd conferência do Palácio das Nações, em Genebra. Tudo será renovado entre 2017 e 2023. (Bill Harby)

Uma das muitas salas dd conferência do Palácio das Nações, em Genebra. Tudo será renovado entre 2017 e 2023.

(Bill Harby)

A decisão de reformar e modernizar o Palácio das Nações em Genebra foi tomada quarta-feira (23) pela Assembleia-Geral das Nações Unidas, em Nova York.

As obras começarão em 2017 e devem estar concluídas em 2023. O custo estimado é de 836, 5 milhões de francos suíços. A Suíça vai participar com um empréstimo de 400 milhões de francos, sem juros. O projeto de reforma tem até nome: Plano Estratégico Patrimonial. O empréstimo ainda precisa ser aprovado pelo Parlamento suíço.

A decisão foi anunciada pelo diretor-geral das Nações Unidas em Genebra, o dinamarquês Michael Moller. “Estou muito feliz com a decisão dos Estados-membros e sou grato a eles. O Palácio das Nações não faz parte somente do patrimônio histórico de Genebra e da Suíça. Ele faz parte do patrimônio histórico do mundo inteiro e devemos preservá-lo e modernizá-lo”.

Moller disse ainda que “Genebra e a Suíça continuam a ser um importante lugar de encontro e de diálogo onde se discute de paz, de direitos humanos e de desenvolvimento e o Palácio das Nações deve acolher essas reuniões nas melhores condições possível”.

O Palácio nas Nações foi construído nos anos 1930 e nunca foi completamente remodelado desde então. A sede da ONU em Genebra acolhe cerca de 10 mil reuniões por ano, incluindo negociações de paz e outros encontros. Mais de 115 mil pessoas visitaram o Palácio das Nações, em 2015.

Muita atividade em 2016

Em 2016, as atividades no Palácio das Nações também prometem ser intensas. Depois de dois encontros entre beligerantes da Sória em 2012 e 2014, chamados de Genebra I e Genebra II, um novo encontra está marcado para o final de janeiro, desta vez de uma resolução do Conselho de Segurança da ONU. É difícil prever, mas um plano de cessar-fogo pode surgir de Genebra III.

As primeiras discussões sobre o conflito no Iêmen já ocorreram na Suíça, desta vez não em Genebra, mas nas montanhas do cantão de Berna. Elas vão continuar e como ocorrem sob a égide da ONU, acabarão passando pela sede das Nações Unidas, em Genebra. O mesmo se prepara para as negociações sobre a Líbia.

Muitas e intensas negociações, portanto, estão previstas para 2016, sem contar os relatórios e discussões da Comissão dos Direitos Humanos e a questão dos refugiados, pois o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados também está em Genebra.

Como tanta atividade, só mesmo renovando e ampliando um edifício construído entre as duas grandes guerras.

swissinfo.ch

Direitos Autorais

Todos os direitos reservados. O conteúdo do site da swissinfo.ch é protegido por direitos autorais. Ele é destinado apenas para uso privado. Qualquer outro uso do conteúdo do site além do uso acima estipulado, especialmente no que diz respeito à distribuição, modificação, transmissão, armazenagem e cópia, requer a autorização prévia por escrito da swissinfo.ch. Caso você esteja interessado em algum desses tipos de uso do conteúdo do site, entre em contato conosco através do endereço contact@swissinfo.ch.

No que diz respeito ao uso para fins privados, só é permitido o uso de hyperlink para um conteúdo específico e para colocá-lo no seu próprio site ou em um site de terceiros. O conteúdo do site da swissinfo.ch só poderá ser incorporado em um ambiente livre de publicidade sem quaisquer modificações. Especificamente aplicável a todos os softwares, pastas, dados e seus respectivos conteúdos disponibilizados para download no site da swissinfo.ch, uma licença básica, não exclusiva e não transferível é concedida de forma restrita a um único download e gravação de tais dados em dispositivos privados. Todos os outros direitos permanecem sendo de propriedade da swissinfo.ch. Em especial, proíbe-se qualquer venda ou uso comercial desses dados.

×