Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Eleições parlamentares 2019 Quem apoia os suíços do estrangeiro?

Members of the House of Representatives

Representantes do Partido Social-Democrata (PS) no Parlamento federal votaram mais vezes do que qualquer outro partido de acordo com a posição da Organização dos Suíços no Estrangeiro (OSE).

(Keystone/Anthony Anex)

A maioria dos principais partidos representados no Parlamento helvético tenta se mostrar simpático aos interesses dos suíços do estrangeiro. Uma pesquisa realizada pela swissinfo.ch mostra o que os políticos pensam realmente da chamada 5ª Suíça.

Um em quatro dos 760 mil suíços residentes no exterior se registraram nas representações consulares para poder votar nas eleições ou plebiscitos federais, que dão a base ao sistema de democracia direta no país. Muitos desses cidadãos participarão, dessa forma, nas eleições parlamentares de 20 de outubro (link para dossiê das eleições).

Os jornalistas da swissinfo.ch examinaram a fundo os resultados de votações no Parlamento entre 2015 e 2019 para analisar como os diferentes partidos políticos decidiram sobre as questões de interesse dos suíços do estrangeiro.

Junto com especialistas da rede independente "PolitoolsLink externo", que opera o serviço online de recomendação de votos "Smartvote.chLink externo", avaliamos 16 questões votadas no Conselho Nacional (n.r.: Câmara dos Deputados), mas não no Senado. A Organização dos Suíços do Estrangeiro (OSELink externo) tomou posição em relação a 14 delas, baseada em um manifesto aprovado por unanimidade pelo Conselho dos Suíços do Estrangeiro em 2015.

Resultados das pesquisas

Na tabela dos seis principais partidos representados no Parlamento federal, o Partido Socialdemocrata (PS) lidera no ranking de apoio aos temas defendidos pelos suíços do estrangeiro. O gráfico abaixo apresenta de forma mais detalhada sua posição.

Dois outros grupos - o Partido Verde-Liberal (centro) e o Partido Verde (esquerda), estão, respectivamente, em segundo e terceiro. Logo depois vem o Partido Cristão-Democrata (centro). Os três votaram quase sempre seguindo as recomendações feitas pela OSE.

Já o Partido Liberal (centro) apoiou de forma limitada as causas da 5ª Suíça. O Partido do Povo Suíço (UDC, direita nacionalista) seguiu as recomendações da OSE apenas em uma das cinco votações parlamentares.

Gráfico 1

Gráfico 1

Em certa medida, as conclusões confirmam as diferentes posições dos partidos, especialmente ao tratar de questões ligadas à política europeia.

É o caso da iniciativa "Primazia das leis suíças", quando a proposta apresentada pela direita foi discutida no Parlamento antes da votação em nível nacional. Tanto os sociais-democratas como a OSE se opuseram à iniciativa.

Tradicionalmente os sociais-democratas têm laços estreitos com a comunidade suíça no exterior. Em 2015, Tim Guldimann foi o primeiro suíço do estrangeiro a ser eleito ao Parlamento pelo PS. O ex-diplomata é visto como um lobista de peso para a causa dos expatriados, mesmo dentro do seu partido.

Outra razão para as fortes ligações entre a OSE e o PS estaria no papel ativo da seção internacional dos sociais-democratas. O grupo já apresentou mais de trinta candidaturas às eleições em outubro de 2019 para o Conselho Nacional, superando as da UDC.

Porém outros críticos também acusam o presidente da OSE de apoiar uma agenda de esquerda contra a oposição solitária da direita. Do seu lado, os sociais-democratas argumentam que a maioria de centro-direita no Parlamento bloqueia questões de interesse dos expatriados, quebrando suas próprias promessas.

Gráfico 2

Gráfico 2

Análise detalhada

Uma análise detalhada dos votos dá uma informação mais precisa sobre as posições dos principais partidos em cinco diferentes temas políticos, incluindo:

• uma seleção de iniciativas populares (Primazia das leis suíças, implementação de quotas para imigração ou abolição da taxa de rádio e televisão públicasLink externo).

• o acesso a contas bancárias na Suíça para suíços do estrangeiro.

• introdução do sistema de e-voting.

• proposta de cortes no orçamento da plataforma multilíngue swissinfo.ch e da Swiss Review, a revista dos suíços do estrangeiro.

• diversas questões, incluindo a dupla-cidadania e prestações complementares de aposentadoria.

Várias informações reveladas pela pesquisa se destacam. A maioria dos partidos estava de acordo com as posições da OSE ao tratar no Parlamento da proposta de introdução do e-voting - com exceção do Partido do Povo Suíço (SVP) e, até certo ponto, o Partido Verde (PV).

As decisões relativas à possibilidade suíços do estrangeiro de abrir contas em bancos suíços encontraram oposição, especialmente por parte do Partido Liberal (PL), tradicionalmente próximo do empresariado. Os outros partidos, incluindo o SVP, manifestaram-se a favor, apoiando as posições da OSE.

Metodologia

A pesquisa foi baseada na agenda da OSE, completada com informações dos principais partidos políticos. Ela abrange questões relacionadas à comunidade de suíços do estrangeiro discutidas no Parlamento federal entre dezembro de 2015 e junho de 2019.

O aplicativo "smartvote" forneceu os dados sobre os respetivos votos no Parlamento e de cada deputado-federal, bem como as recomendações da OSE. Graças a essa base swissinfo.ch pode examinar o nível de acordo entre os partidos, parlamentares e a OSE.

Interessado em mais detalhes? Consulte a versão original do artigo em alemãoLink externo ou as traduções em francês e italiano.


Adaptação: Alexander Thoele, swissinfo.ch

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.