Uma escultura do americano Jeff Koons foi vendida nesta quarta-feira por 91,1 milhões de dólares, um recorde para um artista vivo, em leilão organizado pela Christie's em Nova York.

"Rabbit", uma peça de aço com a forma de um coelho inflável, superou a pintura "Portrait of an Artist (Pool with Two Figures)", do britânico David Hockney, negociada por 90,3 milhões de dólares em novembro passado, também na Christie's em Nova York.

A escultura do americano foi adquirida por 80 milhões de dólares, mas com as taxas e comissões chegou ao preço final de 91,075 milhões de dólares.

O coelho, que faz parte de uma série de três criados por Koons en 1986, foi comprado por uma pessoa que estava na sala do leilão, algo não muito comum em aquisições deste valor.

O artista plástico de 64 anos recuperou assim o recorde que já havia ostentado, antes de ser batido brevemente por Hockney, com a venda em 2013 de "Balloon Dog (Orange)" por 58,4 milhões de dólares.

"Rabbit" é uma das obras mais conhecidas deste escultor que sacudiu o mundo da arte.

De 104 cm de altura, "Rabbit" pertencia a coleção de S.I. Newhouse (falecido em 2017), ex-chefe do grupo de imprensa Condé Nast, que inclui as revistas Vanity Fair, Vogue e The New Yorker.

Para Alex Rotter, chefe de arte contemporânea da Christie's em Nova York, "Rabbit" é "a peça mais importante de Jeff Koons". "Iria mais longe, é a escultura mais importante da segunda metade do século XX".

Koons sempre foi um polemista, especialmente com seus quadros e esculturas nos quais aparecia copulando com a ex-atriz pornô italiana Cicciolina, com quem se casou em 1991 e se divorciou em 1994.

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.