Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

Espionagem industrial


Hackers atacam ministério da Defesa da Suíça


 Outras línguas: 6  Línguas: 6

O Ministério da Defesa da Suíça e a empresa estatal de material militar, RUAG, foram alvos de hackers em janeiro.

O ministro da Defesa, Guy Parmelin, disse que a espionagem ocorreu em janeiro durante a reunião do Fórum Econômico Mundial (FEM), em Davos (Keystone)

O ministro da Defesa, Guy Parmelin, disse que a espionagem ocorreu em janeiro durante a reunião do Fórum Econômico Mundial (FEM), em Davos

(Keystone)

"Os ataques foram para espionagem industrial", confirmou o ministro da Defesa, Guy Parmelin, aos jornais suíços Tages-Anzeiger e Der Bund, em uma entrevista na quarta-feira, 4 de maio.

De acordo com a reportagem, a Rússia é suspeita de estar por trás dos ataques cibernéticos.

Parmelin disse que a espionagem aconteceu durante a reunião anual do Fórum Econômico Mundial (FEM), em Davos, na região sudeste do país.

"Conseguimos nos manter operacionais, apesar do ataque", acrescentou.

Os hackers não conseguiram causar danos ao Ministério da Defesa nem à rede da administração federal.

Inquérito

O serviço de inteligência suíço informou o Ministério Público em janeiro que suspeitava que os computadores da empresa estatal de material militar Ruag haviam sido infectados por um “malware”. O ministério Público da Suíça abriu um inquérito.

Parmelin informou imediatamente o governo e os ministérios envolvidos. O governo suíço tentou melhorar a segurança informática do Estado, aprovando um total de 14 medidas de segurança de curto e médio prazo, em 23 de março, que não foram comunicadas.

A Ruag e o exército suíço mantêm laços estreitos e compartilham vários sistemas informáticos. Uma força-tarefa de defesa também está investigando se o ataque cibernético poderia ter se estendido a outras partes da administração federal.

Na quarta-feira, uma delegação parlamentar de controle criticou o segredo que envolve o ataque contra a Ruag. Os parlamentares suíços afirmam terem sido informados do ataque só no final de janeiro. Apesar de vários pedidos para que o governo informasse o público, o Conselho Federal preferiu guardar o silêncio até agora.

Outros ataques

Este não foi o primeiro ataque informático contra redes de computadores do governo. Em outubro de 2009, os hackers usaram malwares para atingir o Ministério das Relações Exteriores da Suíça, entrando em sua rede de computadores e acessando vários documentos sensíveis.

Em março deste ano, o maior partido político do país, o Partido do Povo Suíço (SVP, na sigla em alemão), bem como a companhia ferroviária federal confirmaram que haviam sido alvo de hackers.

swissinfo.ch

×

Destaque