Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Esporte na infância Escolas suíças mantêm as colônias de esqui

Snowboarders sur télésiège

Jovens esquiadores na cabine de um teleférico suíço.

(© Keystone / Jean-christophe Bott)

Na Suíça todos escolares devem esquiar pelo menos por uma semana. Uma antiga tradição, mas que não é uma oferta obrigatória das escolas ou ocorre em todas os estados. Muitas crianças quase nunca viram a neve.

"Hoje não falamos mais de colónias de férias de esqui, mas sim de esportes na neve", explica Tobias Fankhauser do Ministério suíço dos EsportesLink externo (OFSPO, na sigla em francês). A maioria dessas atividades escolares nas montanhas também oferecem a oportunidade de experimentar esportes diferentes como o snowboard, o chamado esqui de fundo (caminhadas de esqui) ou até mesmo saltos.

Mas o princípio permanece o mesmo: durante cinco dias, professores e alunos têm a oportunidade de se descobrir e aprender os esportes tradicionais de inverno. Para o governo suíço, as colônias "permitem que os jovens tenham uma experiência positiva, benéfica à sua socialização e desenvolvimento". As crianças geralmente têm boas lembranças das colônias de férias: amizades, pausa das aulas, diversão nos dormitórios e nas noites com os amigos.

Enfants dans la neige

As colônias de férias nas montanhas são uma oportunidade para muitas crianças suíças de aprender a esquiar.

(Keystone / Juerg Mueller)

As colônias na neve também têm um bom balanço em termos de atividade esportiva. Sem a proteção dos pais ou outras formas de controle social, os jovens acabam fazendo progressos incríveis em apenas cinco dias. O programa termina beneficiando as próprias famílias, que passam a ter mais motivação para passar os finais de semana nas montanhas, esquiando.

Vida alpina

"Na Suíça, a tradição das colônias de férias de inverno remonta à II. Guerra Mundial", explica Grégory QuinLink externo, professor e pesquisador do Instituto de Ciências do Esporte da Universidade de Lausanne.

"Esse programa foi criado, sobretudo, para encher os hotéis nas épocas de baixa. Em termos de prática de esporte ou reforço da saúde, as colônias não proporcionam nada mais além do que já é oferecido no plano escolar. Na verdade, o interesse é reforçar os laços entre a população que vive nas cidades e as regiões alpinas."

As colônias funcionam há 70 anos. Hoje, praticamente todos os escolares na Suíça visitam uma delas de forma voluntária, já que não fazem parte do programa obrigatório. E para isso tem direito às chamadas "férias de esporte".

Na Suíça, um Estado federalista, a educação está sob alçada dos cantões (estados). Porém mesmo as regiões mais afastadas das montanhas - uma distância bem relativa, pois os picos são visíveis em qualquer lugar - organizam campos de esqui. Os dois maiores cantões alpinos - Valais e Grisões - não precisam nem alugar chalés para os alunos. Nesses vales, as colônias de férias ocorrem até mesmo em dias isolados, durante a semana.

Importância dos esportes de inverno

As escolas suíças dão tanta importância aos esportes de inverno como o ensino da história ou línguas nacionais? Uma questão sem resposta. Nos últimos anos ocorreu um declínio na participação em colônias de férias de inverno. O governo federal, que ajuda a financiar os campos através do programa federal Juventude+EsporteLink externo, mantém estatísticas nacionais desde 2005. Em 13 anos, o número de colônias de férias caiu de 2.585 para 2.368. Não é realmente uma grande queda, mas a tendência é concreta.

Leve queda, mas não uma derrocada geral. E nos anos recentes, os números aumentam.

Gráfico

Gráfico

Tobias Fankhauser, porta-voz do Ministério dos Esportes, vê várias razões para a queda no número de crianças que participam das colônias de férias de inverno: "Existe uma tendência demográfica (cada vez menos crianças no país), falta constante de neve especialmente nas estações de esqui de baixa altitude e próximas dos centros urbanos, mas também o fato de que os esportes de neve não são uma prioridade para os migrantes.

A isto se acrescentam as questões de segurança e responsabilidade jurídicas, que alguns professores e diretores escolares não querem mais assumir. "As pessoas temem que algo possa ocorrer com seus filhos quando estão nas colônias", acrescenta Vincent Ebenegger, secretário de Esportes no cantão do Valais. "E não podemos negar: esquiar é um esporte que custa muito dinheiro".

Pais precisam pagar

As colônias de férias da neve são raramente gratuitas. Poucas escolas são capazes de cobrir os custos do programa com seu orçamento. É comum encontrar escolares nos supermercados ou centros comerciais vendendo bolos, chocolates ou rifas para ajudar a financiar a sua participação. Muitas escolas também pedem aos pais para colaborar, em quantias que vão de algumas dezenas ou até 300 francos.

O Tribunal Federal da Suíça chegou a criticar a prática. Pais de escolares no cantão da Turgóvia processaram o Estado por considera injusta a cobrança de taxas para atividades escolares. O julgamentoLink externo ocorreu em dezembro de 2017. Neles, os juízes decidiram que as escolas não poderiam cobrar mais do que 50 a 80 francos por semana, o valor que corresponde ao custo das refeições.

A mídia considerou na época que a decisão judicial tornaria inviável o funcionamento das colônias de férias de inverno, mas que não ocorreu. "Pelo contrário, o número delas tem aumentado desde 2017", observa Fankhauser, que considera especulativa a afirmação que a decisão do Tribunal Federal seja prejudicial à existência da programação esportiva para os escolares.

Novas tendências

Mesmo assim, apesar da popularidade na Suíça dos esportes de inverno ainda ser elevada, existe uma tendência de queda. É o que se observa também devido ao declínio dos esportistas suíços nos campeonatos mundiais de esqui.

enfant dans la neige

Viva a neve!

(Keystone / Gaetan Bally)

"O esqui tornou-se um esporte de luxo. Estamos conscientes disso, mas é algo que já deveríamos ter detectado há vinte anos. Para uma família comum é mais caro passar um dia em uma grande estação de esqui em Verbier do que passar três dias de verão em Portugal ou na Grécia", explica Quin.

Mas se a criança gostou da semana de esqui com os amigos da escola, ela escolheria Verbier ou outros destinos para passar suas férias de inverno. Em 2014, o governo suíço lançou uma iniciativa a favor dos esportes de inverno: através da plataforma GoSnowLink externo, as escolas podem encontrar ofertas mais vantajosas de alojamento e teleféricos para organizar uma colônia de férias.

No início do ano escolar de 2019, a nova ministra suíça dos Esportes, Viola Amherd, prometeu aumentar o apoio financeiro para a participação dos escolares nas colônias de férias de inverno de 7,6 francos a 12, por aluno e por dia.

Vincent Ebenegger, secretário de Esportes do cantão do Valais, vê na medida um sinal: "O fato de haver uma iniciativa como GoSnow mostra que há um problema com as colônias de férias. O aumento do financiamento público mostra que há uma preocupação."


Adaptação: Alexander Thoele

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.