Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Futebol é política? Os escândalos do futebol suíço ao longo dos anos

Xherdan Shaqiri fazendo o gesto da águia de duas cabeças, que lhe custou CHF 10.000

Xherdan Shaqiri fazendo o gesto da águia de duas cabeças, que lhe custou CHF 10.000

(Keystone)

Três jogadores suíços foram multados pela FIFA por "comportamento antidesportivo contrário aos princípios do fair-play". Talvez surpreendentemente, não é a primeira vez que os suíços tomam uma reprimenda das autoridades.

Poderia ter sido pior, disseram os fãs suíços na segunda-feira. A FIFA, entidade que rege o futebol mundial, podia ter banido Xherdan Shaqiri, Granit Xhaka e o capitão Stephan Lichtsteiner por fazer gestos provocativos de um símbolo nacional albanês para comemorar os gols da Copa do Mundo contra a Sérvia. No fim das contas, eles foram multados em até CHF 10.000 (US$ 10.130) cada e receberam uma advertência.

Alex Frei, no entanto, foi banido por três jogos por cuspir em um adversário durante a Eurocopa de 2004. Frei, que se tornou o artilheiro da Suíça, se desentendeu com o meia Steven Gerrard, da Inglaterra, e cuspiu no seu pescoço.

Alex Frei spitting on Steven Gerrard

Alex Frei limpando a garganta – e sua agenda – por três partidas

(KEYSTONE/SRF)

Não só Frei, mas também a Federação Suíça de Futebol (SFA) se saíram mal do sórdido “Spuckaffäre” (caso do cuspe). A SFA foi acusada de tentar encobrir o incidente e obrigar Frei a mentir sobre isso. Um relatório independente não encontrou evidências de que fosse este o caso, mas concluiu que a SFA poderia ter agido mais profissionalmente na maneira como lidou com o assunto.

A SFA também se lascou em 1995, quando a Suíça enfrentou a Suécia em Gotemburgo em uma partida pelas eliminatórias para a Copa da Europa de 1996. Quando as primeiras notas do hino nacional suíço começaram a soar, alguns jogadores suíços, liderados por Alain Sutter, estenderam uma faixa dizendo “Pare com isso, Chirac” - uma referência aos testes nucleares realizados na véspera no Pacífico Sul pelo governo francês do presidente Jacques Chirac.

A ação de Sutter não resultou em nenhuma sanção - seja da SFA ou da UEFA, órgão que controla o futebol europeu. No entanto, isso fez com que a UEFA introduzisse uma proibição estrita de ações e declarações políticas.

E no caso de gestos com as mãos? Em 2012, Ottmar Hitzfeld, técnico da Suíça na época, teve uma divergência de opinião com o árbitro espanhol durante uma partida das eliminatórias da Copa do Mundo com a Noruega, e mostrou a ele o dedo médio. Ganhou uma suspensão de dois jogos.

Ottmar Hitzfeld flipping the bird

Ottmar Hitzfeld explicando seu ponto de vista

(Keystone)

Uma última disputa polêmica envolvendo a Suíça - embora uma em que os suíços foram (principalmente) vítimas inocentes - ocorreu em Istambul em 2005.

No apito final das eliminatórias da Copa do Mundo contra a Turquia, as duas equipes correram do campo para escapar de fãs furiosos, e imagens de televisão mostram uma confusão entre os jogadores no túnel para os vestiários. O zagueiro suíço Stéphane Grichting foi ferido e hospitalizado com uma lesão na virilha. Imagens do técnico turco Fatih Terim, encorajando furiosamente seus jogadores a atacarem os suíços, deram a volta ao mundo.

Swiss player Raphael Wicky is grabbed by the neck by Turkish Tekke Fatih

O jogador turco Tekke Fatih (de branco) agarra o suíço Raphael Wicky pelo pescoço

(Keystone)

A Fifa determinou que a Turquia deveria jogar suas próximas seis partidas oficiais programadas para acontecer em casa (i.e., na Turquia), a portas fechadas e em campo neutro. A decisão também incluiu uma multa de CHF 200.000 (US$ 154.000 na época).

Além disso, dois jogadores turcos foram suspensos por seis partidas. Uma punição semelhante foi dada ao suíço Benjamin Huggel, que admitiu chutar o técnico-assistente turco.


swissinfo.ch/ets, swissinfo.ch

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.