Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Iniciativa "Rasa" Artigo sobre imigração em massa não será revogado

O governo suíço rejeita a iniciativa Rasa ("Vamos sair do impasse"), que propõe aos suíços cancelar o artigo constitucional sobre a imigração em massa. O Conselho Federal decidiu na quarta-feira combater a iniciativa com um contra-projeto cujo conteúdo será definido apenas no próximo ano.

A iniciativa "Sair do Impasse" (RASA) visa revogar o artigo constitucional aprovado em 9 de fevereiro de 2014 por uma pequena maioria dos suíços e cuja aplicação é uma verdadeira dor de cabeça para as autoridades suíças

(Keystone)

O governo suíço quer esperar até que o Parlamento aprove uma resolução para implementar a iniciativa "contra a imigração em massa", aprovada por uma pequena maioria dos cidadãos em 9 de fevereiro de 2014. Como os iniciadores, ele acredita que a Suíça precisa manter uma relação estável e favorável com a União Europeia e que a manutenção dos acordos bilaterais é essencial.

Por razões relacionadas ao funcionamento democrático, o Conselho Federal se diz contrário a voltar atrás ao resultado de uma votação após um período de tempo tão curto. O governo recomendou, portanto, que a iniciativa fosse rejeitada.

A revogação do novo artigo constitucional resolveria o conflito fundamental entre as disposições em matéria de imigração e o acordo sobre a livre circulação de pessoas, mas iria cancelar o mandato que o povo e os cantões (estados) deram ao Conselho Federal de gerir e limitar a imigração.

Ganhar tempo

A decisão permite ao governo ganhar tempo. Se o Parlamento encontrar uma solução para implementar a iniciativa do SVP (partido do povo suíço em alemão) compatível com os acordos bilaterais, os proponentes da Rasa poderiam retirar o seu texto. O Conselho Federal vai decidir o conteúdo do seu "eventual contra-projeto" dentro do prazo legal, ou seja, até 27 de abril de 2017.

O suspense vai durar. O Conselho dos Estados (Senado) tem que decidir em dezembro e validar ou não a implementação "light" da iniciativa SVP preconizada pelo Conselho Nacional (Câmara dos Deputados). Em caso de forte imigração, o Conselho Federal pode exigir que os empregadores comuniquem as vagas disponíveis para os centros regionais de emprego, de modo que a força de trabalho residente seja informada primeiro.

Se isso não for o suficiente para conter a imigração, podem ser tomadas outras medidas, mas não sem o acordo da União Europeia no caso de não respeitarem o acordo sobre a livre circulação. Elas teriam que obter a aprovação do comitê misto que reúne Suíça e UE.

Descontentamento

Essas garantias não impediram o desagrado europeu. Uma reunião extraordinária da Comissão Mista, convocada a pedido de embaixadores da UE, reuniu um número incomum de participantes em Bruxelas, na terça-feira. Entre os pontos criticados, o fato da Suíça poder decidir quais as medidas são contrárias ao acordo.

Bruxelas sempre se mostrou inflexível sobre a livre circulação e não quer abrir uma brecha por causa da Grã-Bretanha. O Conselho Federal acredita que a solução da Câmara pode ser compatível com o acordo. Já o SVP critica a solução por não prever contingentes e limites máximos anuais de imigração previstos agora na constituição.


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

swissinfo.ch com agências

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.