AFP

Pessoas prestam homenagem às vítimas do acidente de avião que levava jogadores da Chapecoense, em Chapecó, no dia 29 de novembro de 2016

(afp_tickers)

De comentaristas veteranos da Fox a jovens locutores de Chapecó, vinte jornalistas brasileiros, que acompanhavam a Chapecoense para narrar na Colômbia a primeira final internacional do time "revelação", estavam entre os mais de 70 mortos na queda do avião em Medellín, na noite de segunda-feira.

Rafael Henzel Valmorbida, narrador de 43 anos da pequena rádio Oeste Capital, de Chapecó, é o único repórter que sobreviveu à queda do avião em uma área montanhosa da segunda cidade mais importante da Colômbia. Os outros três são jogadores e dois tripulantes.

Na lista dos falecidos estão seis funcionários da filial brasileira da Fox Sports, quatro jornalistas do grupo Globo, quatro da RBS TV (filiada a Globo) e seis repórteres de rádios da cidade catarinense como rádio Chapecó, Oeste Capital e Vang FM, segundo uma lista divulgada pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI).

Ainda não se sabe se o jornalista Ivan Carlos Agnoletto da Super Rádio Condá - que está na lista de passageiros difundida pela Aeronáutica Civil da Colômbia - viajou ou ficou em terra por problemas com sua documentação, segundo publicam vários meios de comunicação no Brasil.

A Aeronáutica contabilizou 22 jornalistas a bordo do voo da empresa aérea boliviana Lamia, que ia de Santa Cruz (Bolívia) para Medellín. A Chapecoense iria disputar lá, na quarta-feira, com o Atlético Nacional a partida de ida da final da Copa Sul-Americana.

Entre os jornalistas falecidos estão os famosos comentaristas da Fox Sports Brasil Mário Sérgio, ex-jogador da seleção brasileira e ex-técnico de 66 anos; o veterano jornalista esportivo Paulo Júlio Clement, de 51 anos; e Victorino Chermont, de 43 anos.

O jornalista Mauro Cezar, da ESPN Brasil, trocou sua foto de perfil do Twitter para a foto de seu companheiro Clement e publicou um vídeo onde se vê o jornalista da Fox comentar com Chermont a rápida ascensão da Chapecoense: "Fica o registro de quem trabalhava com amor pelo que fazia", escreveu.

O comentarista do SporTV André Rizek também colocou uma foto em que está ao lado de Clement com a legenda: "Descansa em paz, meu amigo. Muita força para todas as famílias em Chapecó, na Fox, RBS, Globo. Que ano filho da puta esse 2016".

afp_tickers

 AFP