Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

Suíça como a conhecemos hoje desenvolveu-se lentamente ao longo dos séculos, se transformando gradualmente na união de uma multiplicidade de territórios.

Ao longo dos séculos, o país passou de uma confederação - uma aliança de entidades autônomas - a um estado federal mais centralizado.

Durante a Idade Média, os diferentes territórios, muitas vezes trabalhando em conjunto, ganharam cada vez mais liberdade por parte do imperador, que era o governante nominal.

A história do país foi decisivamente marcada pela Reforma Protestante e subsequente luta entre católicos e protestantes.

Napoleão unificou a Suíça no início do século XIX com limites fronteiriços levemente diferentes, mas o país só se tornou uma república moderna federal em 1848.

Início da história

58 A.C. Os helvécios, a tribo residente de celtas no que hoje é a Suíça, são freados pelas legiões romanas sob o comando de Júlio César ao tentar migrar para oeste da França.

15 A.C. Legiões de Augusto conquistam a tribo alpina dos Rhaeti, no território que é hoje faz parte o leste da Suíça. Nos anos seguintes, a totalidade do território suíço é incorporada ao Império Romano.

400 - 1000 O fim do domínio romano e incursões de tribos germânicas marcam o período conhecido como Baixa Idade Média. Por um breve período em 800, Carlos Magno domina grande parte da Europa Ocidental, incluindo a Suíça, mas seu império se desmorona mais uma vez em pouco tempo. Um sistema feudal evolui. Mosteiros mantém a herança clássica com o ensino do latim e desenvolvem novos métodos de agricultura.

Idade Média

1291 Tradicional ano da criação da Confederação Suíça: as três comunidades rurais de Uri, Schwyz e Unterwalden na Suíça central. Eles formam uma aliança permanente para proteger sua liberdade contra o império dos Habsburgos.

1307 Segundo a lenda, Guilherme Tell é forçado por um governador dos Habsburgos a atirar uma flecha na maçã colocada sobre a cabeça do seu filho. O guerreiro mata depois o governador e torna-se parte do mito fundador da Confederação.

1499 A Confederação ganha o direito implícito para seus membros de gerir seus próprios assuntos após derrotar o imperador dos Habsburgos, Maximiliano, na Guerra Suábia.

1513 A Confederação sem muitas regras inclui agora 13 cantões.

Reforma Protestante

1523 Reforma protestante em Zurique liderada pelo pastor Huldrych Zwingli. Ele é morto em uma batalha contra as forças católicas da Suíça central em 1531.

1536 Reforma protestante em Genebra liderada pelo refugiado francês Jean Calvin, cuja doutrina rigorosa vem a influenciar as igrejas protestantes em muitos outros países.

1618-1648 A Guerra dos 30 anos provoca destruição em grande parte da Europa, mas a Suíça consegue manter-se neutra. O cantão dos Grisões, que neste momento não é membro da Confederação, se torna um campo de batalha entre os exércitos francês e austríaco-espanhol por causa de sua importância estratégica.

1648 O Tratado de Vestefália termina a Guerra dos 30 Anos; as potências europeias reconhecem formalmente a independência da Suíça.

Estado federal

1798 O que agora forma a Suíça é ocupado por tropas francesas revolucionárias. E batalhas ocorrem em solo suíço envolvendo exércitos austríacos e russos. A República Helvética, uma república centralista parlamentar com base no modelo francês, é apoiada pela França.

1803 O "Ato da Mediação" de Napoleão restaura a maior parte do antigo sistema cantonal após o insucesso da República Helvética.

 
1815 A independência e a neutralidade da Suíça são reconhecidas pelo Congresso de Viena.

 
1847 Uma breve guerra civil entre os sete cantões conservadores católicos e uma dúzia de cantões liberais protestantes.

1848 Criação do estado federal da Suíça, com uma nova constituição e um parlamento federal.

 
1863 O empresário inglês Thomas Cook organiza seu primeiro passeio turístico "com tudo incluído" para Suíça - é o início do turismo moderno.

1871 O primeiro concílio do Vaticano proclama a infalibilidade do Papa. Mais de 400.000 católicos suíços deixam a igreja e formam uma nova comunidade religiosa conhecida como a dos Velhos (ou Cristãos) Católicos.

Século 20

1914 A Suíça permanece neutra durante a Primeira Guerra Mundial.

 
1939 A Suíça permanece neutra durante a Segunda Guerra Mundial.

 
1971 As mulheres suíças obtém o direito de voto, aceito (por homens!) através de um referendo nacional.

 
1979 Depois de anos de pressão dos separatistas, um novo cantão de maioria católica e expressão francesa, Jura, é criado após um plebiscito nacional. Seu território fazia parte do cantão protestante e de língua alemã Berna. 

swissinfo.ch

×

Destaque