O último do seu gênero
Carregando
Uma reportagem da

Espécies sob proteção no jardim botânico

Os últimos exemplares da espécie


"Nas flores, a terra sorri."

Ralph Waldo Emerson (1803-1882)

Quase a metade das regiões biogeográficas da Suíça e quase um terço da flora suíça estão ameaçados. Uma série de medidas precisam ser implementadas a fim de manter e fomentar a biodiversidade. Os Jardins Botânicos desempenham um papel importante nesta questão.

As coleções biológicas documentadas dos jardins botânicos constituem a base essencial para as pesquisas científicas. Os jardins botânicos são responsáveis pela proteção da natureza e das espécies e pelo contato com o público. O projeto "O Último Exemplar da Espécie" (Die Letzten ihrer Art) tem como objetivo principal fomentar o cultivo e a reprodução de plantas ameaçadas e promover o conhecimento sobre essas plantas. Cada um dos dez jardins botânicos da Suíça é responsável por duas espécies de plantas.

Jardim Botânico da Universidade de Zurique

Zuerich Botanischer Garten der Universtitaet (Botanischer Garten der Universität Zürich)

Em uma área de 5,6 hectares, estão reunidas cerca de 9.000 espécies. O Jardim Botânico de Zurique possui as tarefas de pesquisar, ensinar, divulgar e proteger.  

Imagem: Jardim Botânico da Universidade de Zurique

 ((L) Alex Bernhard; (R) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt-Verlag)

(E) A Rosa-rubra (rosa gallica), um galho com flores em tons que vão de rosa até pink, está severamente ameaçado na Suíça e cresce apenas em poucas regiões

(D) A Erva-toira-das-areias (orobanche purpurea) está muito ameaçada por causa das pastagens extensivas, do excesso de adubo, do crescimento de arbustos nas pastagens e pelo excesso de construções.

Imagens: (E) Alex Bernhard; (D) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt-Verlag

Jardim Botânico de Neuchâtel

 (Botanischer Garten Neuenburg)

O Jardim Botânico de Neuchatel está localizado na borda da floresta situada acima da cidade de Neuchatel, no pitoresco vale de Vallon de l´Érmitage. Em diferentes biomas, como pastos, florestas de carvalho ou arbustos, há cerca de 3.600 tipos de plantas.

Imagem: Jardim Botânico de Neuchatel

 ((L) Muriel Bendel, feldbotanik.ch; (R) Adrian Möhl, botanikreisen.ch)

(E) A Avenca (adiantum capillus-veneris) é uma samambaia. Normalmente ela cresce próximo a rochas e tufos calcáreos, cachoeiras e fontes.

(D) A Tulipa Silvestre (tulipa sylvestris) é uma planta de bulbo da família das Liliaceae que atinge 50 cm de altura. Ela gosta de solos arenosos ricos em calcário. 

Imagens: (E) Muriel Bendel, feldbotanik.ch; (D) Adrian Möhl, botanikreisen.ch

Jardim Botânico da Universidade de Basileia

 (Botanischer Garten der Universität Basel)

O Jardim Botânico da Universidade de Basileia é o mais antigo da Suíça e foi fundado em 1589 por Caspar Bauhin. A variada coleção de plantas, com cerca de 7.000 espécies, serve para pesquisa, ensino e proteção.

Imagem: Jardim Botânico da Universidade de Basileia


 ((L+R) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt-Verlag)

(E) O cravo Dianthus (dianthus superbus) é uma planta de flor permanente que crece em pastos e gramados de uso extensivo. A drenagem do solo e a agricultura intensiva causaram o quase desaparecimento desta planta.

(D) A Sedum Rubens ("pimenta de pedra vermelha", em tradução livre do alemão) (sedum rubens) é uma planta que gosta do calor, originária da região mediterrânea. Desde 1994, o Jardim Botânico de Basileia produz sementes desta planta para outros jardins botânicos e para telhados verdes.

Imagens: (E+D) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt-Verlag

Jardim Botânico de Pont-de-Nant

 (swissinfo.ch)

Pont-de-Nant, Jardim Botânico Alpino La Thomasia. O Jardim Alpino (Alpengarten) está situado no coração dos Alpes do cantão de Vaud, 1.260 metros acima do nível do mar, e abriga cerca de 2.000 espécies de plantas de altitude de todos os continentes. Em 2016 o Jardim Alpino está completando 125 anos de existência.

Imagem: Jardim Botânico Alpino La Thomasia, Pont-de-Nant

 (swissinfo.ch)

(E) A saxifraga hirculus  cresce em zonas de turfeiras e pântanos, atinge 30 cm de altura e possui flores amarelo-ouro. Em toda a Suíça, há apenas um único local onde esta planta ainda cresce.

(D) A Aquilegia alpina(aqulegia alpina), com suas flores de até 8 cm em tom azul-violeta é inconfundível. Como a maior parte da região onde esta planta cresce está situada na Suíça, este país assume grande responsabilidade pela sua preservação.

Imagens: (E) Adrian Möhl, botanikreisen.ch; (D) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt-Verlag

Jardim Botânico de Porrentruy

 (Jurassica Jardin botanique de Porrentruy)

O Jardim Botânico de Porrentruy, situado em pleno centro histórico da cidade de Porrentruy, circundado pelo Colégio Jesuíta, reúne 600 espécies de plantas do cantão do Jura. Na época das flores, as 70 qualidades de rosas e 180 variedades de lírios transformam este jardim botânico em um imenso mar de cores.

Bild: Jardim Botânico de Porrentruy, cantão do Jura

 ((R) Jurassica Jardin botanique de Porrentruy; (R) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt-Verlag)

(E) O Narciso Branco da Montanha (narcissus radiiflorus) chega a 40 cm de altura. Na Suíça, ele cresce principalmente na parte ocidental dos Pré Alpes do cantão do Jura. Esta planta, que já foi bem comum, está praticamente extinta devido as pastagens intensivas e a colheita exagerada.

(D) A Fritillaria Meleagris (fritillaria meleagris) é uma planta de bulbo da família das Liliaceae que atinge de 20 a 30 cm de altura e possui uma flor em forma de sino. Ela cresce em campos úmidos principalmente ao longo do rio Doubs. A construção de represas e a colheita irregular deixou esta espécie praticamente extinta.

Imagens: (E) Jardim Botânico do Jura em Porrentruy; (D) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt-Verlag

Jardim Botânico do Cantão do Tessin

 (Parco botanico del Canton Ticino)

O Jardim Botânico do Cantão do Tessin está situado na ilha San Pancrazio no Lago Maggiore. Graças a temperaturas amenas e a uma boa quantidade de chuva, as plantas subtropicais de cinco regiões mediterrâneas encontram ali o ambiente ideal.

Imagem: Jardim Botânico do Cantão do Tessin

 ( (L+R) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt-Verlag)

(E) A Marsilea Quadrifolia (marsilea quadrifolia) se parece muito com um Trevo-de-quatro-folhas. As folhas flutuam na superfície da água. É uma planta que dá em pântanos, pequenos lagos e várzeas em regiões de clima ameno.

(D) A "Rosa com folha de sálvia" (cistus salviifolius) tem folhas aveludadas e enrugadas com um aroma marcante. O arbusto atinge a altura de um metro. Na Suíça, esta espécie só cresce no cantão do Tessin e agora é cultivada nas ilhas de Brissago.

Imagens: (E+D) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt-Verlag

Jardim Botânico da Universidade de Friburgo

 (Botanischer Garten der Universität Freiburg)

O Jardim Botânico da Universidade de Friburgo, fundado em 1937, possuía inicialmente apenas plantas medicinais, silvestres e aquáticas, e era usado para a formação de médicos e farmacêuticos. Ao longo dos anos foram construídas estufas com plantas tropicais, plantas geófitas (que apresentam bulbos e tubérculos subterrâneos) e plantas sob proteção. Atualmente a coleção reúne cerca de 5.000 espécies.

Imagem: Jardim Botânico da Universidade de Friburgo

 ((L) Gregor Kozlowski; (R) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt Verlag)

(E) A "Pequena rosa de lago" (nuphar pumila) é uma planta aquática que dura vários anos. Ela cresce em águas paradas e com poucos nutrientes. A poluição das águas, o movimento de banhistas ou de barcos ameaçam consideravelmente esta espécie, que existe apenas em poucos locais muito isolados.

(D) A "Erva-colher dos Pirineus" (cochlearia pyrenaica) atinge 30 cm de altura. Ela cresce em regiões de fontes ricas em calcário, beira de riachos e campos úmidos. Atualmente esta planta só se desenvolve na região no monte Gantrisch, nos Pré Alpes.

Imagens:  (E) Gregor Kozlowski; (D) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt Verlag

Jardim de Espécies de Erschmatt

 (Sortengarten Erschmatt)

O Jardim de Espécies de Erschmatt está situado em uma paisagem de terraços acima do vilarejo de Erschmatt, no cantão do Valais. Este jardim se ocupa do cultivo de plantas antigas, que raramente são cultivadas. Além de espécies antigas de cereais, eles também cultivam plantas que acompanham as plantações de cereais.

Imagem: Jardim de Espécies de Erschmatt

 ((L) Sortengarten Erschmatt; (R) Adrian Möhl, botanikreisen.ch)

(E) A Nigella Arvensis (nigella arvensis) é uma planta anual que atinge até 30 cm de altura. Esta espécie praticamente só cresce na proximidade de plantações de cereais. Na Suíça, ela é encontrada praticamente apenas no cantão do Valais. O uso de herbicidas e a agricultura intensiva comprometem gravemente esta espécie.

(D) Sendo uma planta anual, as sementes da "Adonis em chamas" (adonis flammea) brotam no outono ou na primavera seguinte. Na Suíça, esta planta cresce quase que exclusivamente no cantão do Valais e apenas em locais com plantações extensivas de cereais.

Imagens: (E) Sortengarten Erschmatt; (D) Adrian Möhl, botanikreisen.ch

Jardim Botânico Alpinum Schatzalp de Davos

 (Botanischer Garten Alpinum, Schatzalp, Davos)

O primeiro Jardim Botânico na região do Schatzalp,  situado acima de Davos, recebeu o nome de "Alpineum" e foi construído em 1907. O hotel, em estilo Art Nouveau, foi concebido originalmente como um sanatório para "doentes do pulmão". Na década de 1950, o prédio foi reformado e transformado em hotel. Em 1972, foi fundado o atual Jardim Botânico, local onde crescem mais de 5.000 espécies provenientes de todo o mundo.

Imagem: Jardim Botânico Alpinum, Schatzalp, Davos

 ((L+R) Botanischer Garten Alpinum Schatzalp Davos)

(E) O Eríngio alpino (eryngium alpinum) atinge 70 cm de altura. Trata-se de uma planta muito sensível, encontrada na Suíça em vários lugares isolados, especialmente na região dos Pré Alpes. O Jardim Alpinum Schatzalp possui plantas antigas e tem a capacidade de cultivar plantas novas, apropriadas para o replantio em regiões onde estavam extintas. 

(D) O "Esporão de Cavaleiro Suíço" (delphinium elatum subsp. helveticum) é uma subespécie do "Alto esporão de cavaleiro" (delphinium elatum) e chega a atingir dois metros de altura. É encontrado apenas nos Alpes ocidentais da França, Itália e Suíça. A presença desta planta diminuiu consideravelmente nas últimas décadas.

Imagens: (L+R) Jardim Botânico Alpinum Schatzalp Davos

Jardim Botânico da Universidade de Berna

 (Botanischer Garten der Universität Bern)

O atual Jardim Botânico da Universidade de Berna foi construído em 1860 na rua Altenbergrain, no centro da cidade de Berna. Em cerca de 2,5 hectares, aproximadamente 5.500 espécies são cultivadas. Além de árvores com mais de 150 anos, este jardim botânico possui outras atrações como um viveiro com plantas alpinas, o jardim de plantas medicinais e a "Casa da Estepe", com vegetação típica das regiões de estepe e cerrado.

Imagem: Jardim Botânico der Universidade Berna

 ((L+R) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt-Verlag)

(E) A Dactylorhiza Cruenta (dactylorhiza cruenta) pertence à família das orquídeas e cresce em regiões de pântano subalpinas. O único lugar adequado ao norte dos Alpes se encontra em Kandersteg. Desta população de plantas de Kandersteg foram extraídas as sementes que são cultivadas no Jardim Botânico de Berna. Até agora, 2.000 plantas se desenvolveram e poderão ser reinseridas no seu local de origem em 2017.

(D) Este projeto quer salvar duas espécies da extinção: em primeiro lugar, a planta Gentiana Cruciata (gentiana cruciata), e em segundo lugar a borboleta endêmica Phengaris rebeli. Para seu próprio desenvolvimento, esta borboleta depende completamente da Gentiana brachyphylla. Em 2015, foram plantadas as sementes de Gentiana que deverão ser transferidas para a regição do Jura, no cantão de Berna, este ano ainda.

Imagens: (E+D) Konrad Lauber, Flora Helvetica, Haupt-Verlag

Production

Rolf Amiet
Felipe Schärer Diem