O desemprego é baixo na Suíça, onde as empresas freqüentemente contam com mão de obra do exterior. Atraídos por salários altos, alguns estrangeiros trabalham ilegalmente e assumem grandes riscos.

Aproximadamente um em cinco trabalhadores no mercado de trabalho interno não tem a nacionalidade suíça. A maioria dos estrangeiros são europeus qualificados, que beneficiam-se dos acordos bilaterais entre a Suíça e a União Europeia.

Emprego e desemprego

Há uma expressão na Suíça que diz que “o país bate muito além de seu peso”, ou seja, sua economia é bem mais forte do que o seu tamanho. A Suíça tem o 19° maior PIB (487,48 bilhões de francos), embora ela ocupe o 95° lugar entre os países mais populosos do mundo com 7,8 milhões de pessoas. Para mais informações, visite a página de dados básicos do Departamento Federal de Estatísticas.

Para mais informações sobre emprego e renda, veja esta página do Departamento Federal de Estatísticas. Informações práticas sobre trabalho na Suíça (condições/legislação), clicar no portal em português da OSEC, órgão de promoção comercial da Suíça.

Mesmo durante o auge da recessão de 2009, a Suíça registrava um baixo nível de desemprego em comparação com países vizinhos e os Estados Unidos. Os mais recentes dados sobre o desemprego no site do Departamento Federal de Estatísticas.

Trabalho na ilegalidade

É ilegal trabalhar na Suíça sem um visto previamente outorgado e se está sujeito às penas cabíveis da lei. Legalmente ninguém pode começar a trabalhar no país antes de estar registrado nas autoridades locais, mesmo num emprego para o qual tenha a pessoa recebido um visto. Para mais informações, veja a seção "Visto de Trabalho".

Ao trabalhar ilegalmente, a pessoa se sujeita a uma multa ou maiores conseqüências, podendo seu empregador também ser punido. Não há nenhuma base jurídica para o empregador pagar pelo trabalho que tenha sido feito ilegalmente.

swissinfo.ch