A promoção cultural na Suíça - assim como a educação - está no limite de competência dos cantões e comunas, como está ancorado na Constituição desde 2000.

Os cantões são responsáveis pela cultura dentro do seu próprio território. Já o Governo Federal passou a ficar responsável pelas questões culturais de interesse nacional. Adicionalmente, a promoção cultural tornou-se uma parte concreta da política federal.    

Dos mais de 2,24 bilhões de francos investidos em fundos para a cultura, as comunas investiram 1,03 bilhões francos (46%), 880 milhões (39%) foram colocados pelos cantões, ficando a contribuição federal em torno de 334 milhões (15%).

Política de patrocínio cultural

A política cultural Suíça visa contribuir para a unidade nacional. Ela foca o caráter do país como uma “nação unida pela escolha”, possuindo ligações com as três grandes culturas europeias (linguísticas) e na sua estrutura federal unindo um largo número de grupos dísparos.

Todos os esforços para a promoção cultural vêm sido conduzidos ultimativamente pelo objetivo dual de manutenção do testamento político que une o país e encoraja à exploração das identidades e diversidade culturais das regiões da Suíça.

Departamento Federal de Cultura encarrega-se de cuidar das áreas de promoção cultural e conscientização, do patrimônio nacional e da preservação de edifícios históricos e monumentos. É ele quem mantém a Coleção de Arte Suíça, a Biblioteca Nacional Suíça e onze museus, inclusive o Museu Nacional Suíço.

As autoridades da área de cultura também se encontram ativas na preservação do caráter local e da arqueologia. Ela apóia o trabalho de diretores de cinema, artistas e designers, promovendo os interesses das diferentes comunidades culturais e linguísticas. São aproximadamente 200 pessoas envolvidas neste assunto.

O Conselho Suíço de Arte Pro Helvetia

Pro Helvetia (Conselho Suíço de Arte) existe para promover trabalhos culturais de interesse nacional e internacional. Ele foi estabelecido como Fundação pelo Governo Suíço em 1939 e seus fundos são formados completamente por dinheiro público.

Pro Helvetia tem como meta oferecer as melhores condições possíveis a artistas e atores para criação e disseminação de seus trabalhos e os ajuda a maximizar o impacto de suas obras e atuações dentro e fora da Suíça.

A fundação reserva 60% de seus fundos ao apoio a projetos internacionais de artistas suíços. Ela também oferece suporte para co-produções ou intercâmbios entre artistas suíços e de outros países, particularmente, de países onde a Pro Helvetia mantem um escritório regional. 

Fundações

Paralelamente às duas grandes fundações citadas acima, existem ainda muitas outras fundações particulares de filantropia na Suíça que oferecem doações às artes.  

swissinfo.ch