Direto para o contenido
Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

Pimenta nos olhos dos outros não é refresco


Polícias e empresas de segurança de vários países compram uma pistola de fabricação suíça, que funciona com spray de pimenta. Essa arma seria mais segura do que a Taser, a pistola que paralisa as pessoas com uma descarga elétrica.

Para a seção suíça da organização humanitária Anistia Internacional, as duas armas são perigosas e seus efeitos imprevisíveis.

Carregada com um spray de pimenta, a pistola JPX Jet Protector dispara dois tiros de 9,4 gr. que contêm óleo, extrato de pimenta e uma carga de pólvora. A arma atira com precisão até uma distância de sete metros.

Raphael Fleischhauer, diretor de tecnologia da Piexon recrutou voluntários durante a fase de testes. "O alvo deve ser o rosto", afirmou à swissinfo. "O impacto é muito forte e a pessoa praticamente perde a visão por 30 minutos e fica completamente paralisada."

Desde que começou a fabricação do JPX, 18 meses atrás, a Piexon vendeu mais de mil unidades em 20 países, inclusive na Suíça, equipando a polícia estadual do Ticino, sul do país. A pistola JPX Protector custa 300 euros (439 francos suíços).

Perigosa ou não?

A arma não-letal mais conhecida mundialmente é o Taser, que imobiliza uma pessoa através de dois eletrodos que provocam um choque elétrico.

"Em certas condições, ela pode ser mortal", afirma Fleischhauer. "O JPX é uma alternativa com maior capacidade de imobilização e muito mais segura."

Um estudo feito pelo Secretaria da Justiça dos Estados Unidos e publicado recentemente concluiu que os Tasers são eficazes contra pessoas agressivas em 69% dos casos no primeiro disparo.

Segundo a organização humanitária Anistia Internacional, mais de 300 pessoas morreram, vítimas dos Tasers entre 2001 e 2007.

"Qualquer arma é perigosa", afirma Daniel Graf, porta-voz da seção suíça da organização à swissinfo.

"O problema é que as pessoas pensam que essas armas não são letais e tendem a utilizá-las de maneira indiscriminada, sem saber quais serão realmente os efeitos sobre a pessoa visada."

O uso de outros prays à base de pimenta – não do JPX – provocou cinco mortes provocadas por fortes irritações. As pessoas sucumbiram porque provavelmente eram muito alérgicas, disse Fleischhauer.

Não só a polícia

A Piexon, sediada no estado de Berna, com 80 funcionários e visa o mercado das polícias e das empresas de segurança.

Um vídeo promocional afirma que a arma pode ser utilizada pelos pais para proteger os filhos contra cães agressivos. Outra aplicação possível é nos casos de violência doméstica, afirma a empresa.

A pistola, nas cores preto, laranja e verde, é mais eficaz e mais fácil de usar do que os tradicionais sprays de pimenta porque não é preciso pressionar um botão, segundo a empresa.

swissinfo, Tim Neville

Fatos

Piexon é uma companhia suíça criada em 2000.
Ao lado da pistola JPX, a empresa também fabrica uma versão menor chamada Anjo Guardião, projetada para ser transportada numa bolsa.
Ela é mais eficaz do que os sprays a gás contra a pequena delinqüência, segundo Piexon.
Outra arma polêmica é o Taser, que provoca uma descarga elétrica e paralisa a pessoa atingida. É usada pelas polícias para controlar pessoas agressivas, principalmente sob efeito de drogas. Vários abusos foram registrados, principalmente nos Estados Unidos.
Um estudo feito pela Secretaria de Justiça dos EUA concluiu que os cães farejadores são menos utilizados com a introdução dos Tasers ou sprays químicos.



Links

Direitos Autorais

Todos os direitos reservados. O conteúdo do site da swissinfo.ch é protegido por direitos autorais. Ele é destinado apenas para uso privado. Qualquer outro uso do conteúdo do site além do uso acima estipulado, especialmente no que diz respeito à distribuição, modificação, transmissão, armazenagem e cópia, requer a autorização prévia por escrito da swissinfo.ch. Caso você esteja interessado em algum desses tipos de uso do conteúdo do site, entre em contato conosco através do endereço contact@swissinfo.ch.

No que diz respeito ao uso para fins privados, só é permitido o uso de hyperlink para um conteúdo específico e para colocá-lo no seu próprio site ou em um site de terceiros. O conteúdo do site da swissinfo.ch só poderá ser incorporado em um ambiente livre de publicidade sem quaisquer modificações. Especificamente aplicável a todos os softwares, pastas, dados e seus respectivos conteúdos disponibilizados para download no site da swissinfo.ch, uma licença básica, não exclusiva e não transferível é concedida de forma restrita a um único download e gravação de tais dados em dispositivos privados. Todos os outros direitos permanecem sendo de propriedade da swissinfo.ch. Em especial, proíbe-se qualquer venda ou uso comercial desses dados.

×