AFP

O Reino Unido permanecerá aberto e atuante no cenário internacional, apesar da decisão de deixar a União Europeia (UE) - declarou a primeira-ministra britânica, Theresa May, em pronunciamento na Assembleia Geral da ONU, em Nova York, nesta terça-feira (20)

(afp_tickers)

O Reino Unido permanecerá aberto e atuante no cenário internacional, apesar da decisão de deixar a União Europeia (UE) - declarou a primeira-ministra britânica, Theresa May, em pronunciamento na Assembleia Geral da ONU, em Nova York, nesta terça-feira (20).

May disse que o Reino Unido "sempre foi aberto ao exterior, um sócio global" nos assuntos internacionais.

A premiê chegou ao cargo em julho, depois da vitória do "Brexit" que levou à renúncia de David Cameron.

"É assim que nos manteremos. Quando a população britânica votou para sair da União Europeia, não votou para se fechar em si mesma, ou se afastar de qualquer um dos nosso sócios no mundo", alegou.

May ressaltou que o Reino Unido, um dos cinco membros com direito a veto no Conselho de Segurança da ONU, continuará sendo um importante na luta contra a pobreza, o terrorismo e a mudança climática.

A primeira-ministra pediu que se concentre, particularmente, em prevenir o tráfico de pessoas, ressaltando que os criminosos criaram novas formas de escravidão.

"Precisamos ser mais inteligentes e até mais coordenados do que os grupos criminosos nos nossos esforços para detê-las", afirmou ela.

May disse que se comprometeu a dar à Nigéria os primeiros US$ 6,5 milhões de um novo fundo de apoio para a luta contra o tráfico humano para o Reino Unido.

As Nações Unidas estimam que cerca de 21 milhões de pessoas ao redor do mundo são vítimas de trabalho forçado. Desse total, metade são mulheres e crianças.

afp_tickers

 AFP