Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

Programa suíço financia boas ideias de negócio


O Venture Kick – um programa de fomento à fundação de empresas a partir de universidades suíças – ajudou a criar 68 firmas e a gerar centenas de empregos nos últimos dois anos.

Potenciais empreendedores recebem até 130 mil francos a fundo perdido, com o que atraem capital de investidores e fazem a inovação florescer na crise.

Poken é uma espécie de Tamagotchi da Web 2.0, capaz de transmitir os dados que normalmente são impressos em um cartão de visitas, mas também links e perfis das diferentes redes sociais entre seus portadores.

Esse gadget (dispositivo eletrônico) foi inventado por Stephane Doutrioux, ex-estudante do Instituto de Administração e Desenvolvimento (IMD) de Lausanne. Em 2008, ele fundou a Poken S.A., que hoje emprega 25 pessoas em Lausanne e em São Francisco (EUA) e já foi premiada na Europa.

O pequeno "chaveiro digital" imitando um boneco conecta o mundo das comunidades virtuais com a comunicação pessoal real. Provavelmente ele não existiria se Doutrioux não tivesse ganhado 130 mil francos a fundo perdido do Venture Kick.

Este programa criado em setembro de 2007 e financiado por quatro fundações privadas tem o objetivo de dobrar a criação de empresas a partir das instituições de ensino superior da Suíça e contribuir para que o máximo de resultados de pesquisas se transformem em produtos de mercado.

Beat Schillig, diretor do Venture Kick e do Instituto de Jovens Empresários de St. Gallen, explica que três critérios são decisivos: a proposta tem de vir do meio acadêmico (desde estudantes, doutorandos até professores); a empresa ainda não deve ter sido fundada; e a tecnologia em que se baseia a ideia deve ter bom fundamento científico, o que é avaliado por especialistas.

Processo de seleção é rígido

A cada mês, oito projetos são submetidos a um júri. Os quatro aprovados ganham 10 mil francos e passam à segunda fase, onde concorrem a 20 mil francos cada. Cada um dos quatros aprovados na terceira e última fase ganha 100 mil francos a fundo perdido.

Entre as apresentações ao júri, as chamadas start up recebem um acompanhamento intenso em assim chamados kickers camps, onde os futuros empreendedores ajustam detalhes do projeto de negócio e recebem dicas práticas de empresários experientes.

Até agora, 180 de um total de 500 ideias apresentadas passaram pela pré-seleção e tiveram a chance de se apresentar diante do júri formado por peritos. Noventa e três projetos foram fomentados com um volume de 3,27 milhões de francos.

Segundo Schillig, dessa forma, surgiram 68 novas firmas que conseguiram atrair outros 32 milhões de francos de capital e criar 410 novos empregos altamente qualificados – a maioria nas próprias empresas.

Foram beneficiados projetos das mais diferentes áreas, desde o desenvolvimento de equipamentos para a medicina e o esporte, tecnologias da informação (p. ex. Minsh) e biotecnologia e até uma ONG que recolhe doações na Suíça para financiar bolsas de alunos talentosos no Quênia (Aiducation International).

"Graças ao capital inicial da Venture Kick tivemos a possibilidade de concluir nosso estudo de viabilidade e, com isso, convencer investidores e bancos", conta Bettina Ernst, da Preclin Biosystems, uma das cientistas fomentadas.

Para Barbara Yersin, cofundadora e CEO da empresa Minsh, "o Venture Kick foi fundamental. Ele permitiu-nos progredir no desenvolvimento do nosso negócio e fazer muitos contatos interessantes no mundo dos investidores. O subsídio foi um grande pontapé inicial para Minsh", disse à swissinfo.ch

Criada na Escola Politécnica Federal de Lausanne (EPFL), a Minsh oferece uma nova forma de visualizar participantes da rede social Twitter e trabalha com cinco funcionários fixos e três temporários.

Alguns projetos também criam empregos indiretos. Um programa do governo federal financia funcionários para alguns desses novos empreendimentos em laboratórios universitários.

Resultados surpreendentes

No total, as 68 empresas (até o final do ano serão 75) vão faturar cerca de 11 milhões de francos em 2009. Para 2010, elas preveem empregar 780 pessoas e mais do que triplicar seu faturamento para 35 milhões de francos.

"Estamos surpresos com a quantidade e a qualidade dos projetos. O resultado supera nossas expectativas em todas a dimensões", diz Beat Schillig à swissinfo.ch.

Ele também tem uma explicação para o sucesso do Venture Kick. "Existem vários prêmios na Suíça destinados a jovens empresários de sucesso. Nós, porém, fomentamos ideias com alto potencial, o que, nesta forma, é inédito no país e no mundo", diz.

A crise econômica, neste caso, até ajuda. Segundo Schillig, quem conclui um curso universitário ou uma pós-graduação na Suíça tem três opções: um emprego bem pago na indústria, ingressar na carreira acadêmica ou tornar-se autônomo.

"Atualmente, a indústria está empregando menos, o que acirra a concorrência por empregos acadêmicos e aumenta a atratividade relativa da formação de empresas spin-off. Por isso, a inovação floresce na crise", diz.

Geraldo Hoffmann, swissinfo.ch

Venture Kick

O programa Venture Kick foi criado em 26 de setembro de 2007 com o objetivo de dobrar o número de empresas criadas a partir das instituições de ensino superior da Suíça.

Ele é financiado pelas fundações privadas Gebert Rüf Stiftung, Ernst Göhner Stiftung e OPO-Stiftung e, recentemente, também pela Avina Stiftung.

Em dois anos de existência, avaliou cerca de 500 projetos e fomentou 93, dos quais surgiram 64 novas firmas.

O Venture Kick concedeu 3,27 milhões de francos a fundo perdido às start up e estas conseguiram atrair outros 32 milhões de francos de capital.

Tem duração prevista para cinco anos, mas segundo Beat Schillig, deverá ser prorrogado em função do sucesso que está tendo.

Vencedores de 130 mil francos

Confira a lista dos que ganharam 130 mil francos até agora no Venture Kick:

- ONG Aiducation Internacional (www.aiducation.org)

- Preclin Biosystems, ETH Zurique (www.preclinbiosystems.com)

- Optotune, ETH Zurique (www.optotune.ch)

- Pearltec, ETH Zurique (www.pearltec.ch)

- Celeroton, ETH Zurique (www.celeroton.ch)

- BioVersys, ETH Zurique (www.bioversys.com)

- Zurich Instruments, ETH Zurique (www.zhinst.com)

- InSphero, Univ. Zurique, (www.insphero.com)

- Virtamed, ETH Zurique (www.virtamed.com)

- Minsh, EPF Lausanne (www.minsh.com)

- Poken, IMD Lausanne (www.doyoupoken.com)

- RouteRank, EPF Lausanne (www.routerank.com)

- labseed, EPF Lausanne (www.labseed.com)

- Prediggo, EPF Lausanne (www.prediggo.com)



Links

×