Por Tarek Amara e Angus McDowall

TÚNIS (Reuters) - Com mais de metade dos votos apurados nas eleições presidenciais, os tunisianos promoveram um verdadeiro terremoto político ao rejeitarem os líderes do "establishment" tradicional e levarem ao segundo turno da votação um pouco conhecido professor de Direito e um magnata de mídia aprisionado por suspeita de sonegação de impostos. 

Kais Saied e Nabil Karoui lideram a corrida à frente de outros 24 candidatos, entre eles o atual primeiro-ministro e dois ex-primeiros-ministros, um ex-presidente e o atual ministro da Defesa, e parecem estar garantidos no segundo turno da votação popular que acontece no próximo mês. 

O episódio representa uma rejeição brusca dos governos eleitos que tiveram dificuldades para melhorar os padrões de vida e combater a corrupção após a revolução de 2011 que introduziu a democracia e inspirou a chamada "Primavera Árabe". 

"Ele vai lutar contra a corrupção e vai estabelecer um Estado justo, continuando o processo da revolução", disse o peixeiro Nourredine el-Arabi, eleitor de Saied, mostrando com orgulho a digital suja de tinta que provava que ele havia votado. 

Karoui há anos usa seu canal de televisão Nessma e a organização de caridade que fundou após a morte de seu filho para se apresentar como um campeão dos pobres e um inimigo do governo, enquanto seus inimigos o descrevem como um populista ambicioso e inescrupuloso. 

Ele nega todas as acusações de irregularidades, incluindo as acusações de sonegação de impostos e lavagem de dinheiro que o mantiveram na prisão no dia da eleição, classificando-as como uma trama anti-democrática. 

"Esperamos que Karoui mantenha suas promessas e continue nos ajudando como tem feito nos últimos anos (com sua organização de caridade)", disse uma mulher que pediu para não ser identificada. 

Sua riqueza e a organização de sua gigantesca campanha eleitoral contrastam com Saied, que gastou tão pouco que os tunisianos brincam que sua campanha foi mais barata que um café e um pacote de cigarros. 

Com 52% dos votos apurados, Saied tinha 18,7%, Karoui estava em segundo com 15,5% e o candidato do partido islâmico moderado Ennahda, Abdelfattah Mourou, tinha 13,1%, como mostram os dados oficiais, sustentando as proporções que quase não mudaram desde o início da manhã. 

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.