Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Radicais livres e armados Exército toma medidas contra extremismo de direita na caserna

soldados com rifles

Em princípio todos os homens suíços devem servir as forças armadas a partir dos 18 anos de idade; mulheres podem se alistar voluntariamente.

(Keystone)

O exército suíço desarmou ou suspendeu um punhado de seus membros ligados ao extremismo de direita. No ano passado, o exército já havia investigado 49 pessoas no total.

Em 2017, o exército suíço checou 42 relatos relacionados com o extremismo de direita entre seus membros. Nove pessoas foram obrigadas a se submeter a medidas de precaução, como verificações de segurança, suspensão ou a entrega de suas armas.

Os números são um pouco maiores do que a média dos últimos cinco anos. Cerca de dois terços dos relatos de extremismo do ano passado tiveram a ver com o extremismo de direita, anunciou o Ministério da Defesa na segunda-feira. No total, houve 21 relatos desse tipo.

Houve oito relatos de extremismo motivado pela jihad (guerra santa muçulmana), cerca de metade do que no ano anterior. Dez tinham a ver com extremismo não violento, e outros três eram de extremismo étnico-nacionalista.

Os recrutas podem ser excluídos do exército suíço se forem considerados capazes de violência. As investigações são realizadas por uma unidade militar especializada em “extremismo no exército”.


swissinfo.ch/ets

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.