Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Reações da mídia Por que a ausência de Trump poderia beneficiar Davos

Se a reunião anual do Fórum Econômico Mundial (WEF) ocorrer de fato sem o presidente dos EUA, Donald Trump, isso não importará muito e o resort suíço de Davos provavelmente nem perderá muito dinheiro, dizem alguns meios de comunicação suíços.

View of Davos under fresh snow

O governo dos EUA já gastou milhões em Davos (visto aqui sob neve fresca) para Trump e sua comitiva

(Keystone)

Trump anunciou na quinta-feira que ele estava cancelando sua visita planejada durante uma paralisação do governo. Não está claro se a paralisação parcial ainda estará em andamento quando a cúpula ocorrer no resort montanhoso suíço de 22 a 25 de janeiro.

Certamente o fundador do WEF, Klaus Schwab, deve se decepcionar, já que ele gosta de “se banhar à luz dos poderosos”, escreve Fredy Gsteiger, correspondente da televisão pública suíça, SRF.

Ueli Maurer, que detém a presidência rotativa da Suíça neste ano, também perderá uma rara oportunidade de falar cara a cara com o presidente dos Estados Unidos. Caso contrário, no entanto, Trump pode ser visto como “um fardo em vez de um enriquecimento para o WEF”, diz Gsteiger, “especialmente porque ele dificilmente teria apresentado novas iniciativas criativas, mas em vez disso queria usar Davos para autopromoção no holofote mundial”.

Assim, o WEF não precisa de uma visita rápida de Trump, continua o editor diplomático da SRF, e isso também se aplica a outros presidentes que são apenas um "enfeite" no encontro anual de capitães da indústria.

“A ausência de Trump pode até ser uma oportunidade para Davos 2019”, diz. “Se o homem que teria atenção mais ou menos monopolizada estiver ausente, temas importantes e debates emocionantes sobre o futuro da economia mundial ganharão mais peso e audiência”.

Pagando de qualquer maneira

Além disso, Davos ainda receberá muito dinheiro americano, mesmo que Trump não venha, de acordo com o jornal Tages-Anzeiger.

"Embora o governo dos EUA não possa pagar seus funcionários por causa da crise orçamentária, continua gastando grandes somas no WEF em Davos", diz o jornal de Zurique, que consultou um banco de dados do governo dos EUA. A 232 mil francos suíços(US$ 236.000) para um hotel de três estrelas em Klosters e CHF 228.000 para uma sala de conferências em Davos, o governo dos EUA já gastou pelo menos 3,45 milhões de francos com Trump e sua comitiva. E algumas pessoas de Trump virão de qualquer maneira.

"Do ponto de vista suíço, os números do governo dos EUA mostram o quanto o WEF representa para a indústria do turismo local", escreve o Tages-Anzeiger.

Se todos essas reservas serão pagas após um cancelamento de Trump não está claro. Mas o jornal norte-americano Quartz, citado pelo jornal suíço, diz que os EUA pagarão de uma forma ou de outra, dada a “rígida política de cancelamento” dos hoteleiros de Davos e outros prestadores de serviços durante o WEF.


swissinfo.ch/fh

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.