AFP

(Arquivo) O arquiteto britânico Norman Foster, em São Sebastião, no dia 25 de setembro de 2010

(afp_tickers)

O renomado arquiteto britânico Norman Foster foi selecionado para reformar um edifício adquirido pelo Museu do Prado, em Madri, para expandir suas salas, em um projeto conjunto com seu colega espanhol Carlos Rubio, anunciou nesta quinta-feira a instituição.

A dupla reabilitará o Salão de Reinos, um edifício do século XVII próximo à sede principal do museu, situado no centro de Madri, em um projeto no valor de 30 milhões de euros.

A proposta de Foster e Rubio "respeita e valoriza o existente, adequando-o às necessidades do nosso tempo", segundo o comunicado do museu.

O Salão de Reinos é um dos únicos edifícios ainda em pé do Palácio Real do Bom Retiro, erguido pelo rei Felipe IV como segunda residência, no século XVII. O Museu do Prado foi aberto em 1819.

O edifício, antiga sede do Museu do Exército, foi adquirido pelo Prado com o objetivo de ampliar seu espaço para exposições.

O projeto de Foster e Rubio prevê a criação de um átrio de acesso na fachada sul, o que dará a impressão de que o edifício está semiaberto, enquanto conserva suas varandas.

Além disso, um novo telhado produzirá energia com painéis solares, ao mesmo tempo em que permitirá a entrada de luz natural nas galerias.

Foster, de 81 anos, se declarou "honrado" de "contribuir com a próxima fase de expansão do Prado", em um comunicado do seu escritório de arquitetura.

O arquiteto britânico deixou sua marca ao redor do mundo, com obras como a Ponte do Milênio em Londres, aeroportos no Panamá, Jordânia e Hong Kong, ou a remodelação do estádio Camp Nou, lar do clube de futebol Barcelona.

A Rubio Arquitetura, de Carlos Rubio, trabalha desde 2014, principalmente na Espanha, mas também na Rússia e na Arábia Saudita.

afp_tickers

 AFP