Reuters internacional

ZURIQUE (Reuters) - A Alemanha reforçou os controles de fronteiras com sua vizinha ao sul, a Suíça, para sufocar o fluxo de imigrantes ilegais, disse o ministro das Finanças suíço, Ueli Maurer, afirmando ser evidente que a Alemanha retirou seu tapete de boas-vindas para os migrantes.

O Ministério do Interior da Alemanha confirmou o reforço de pessoal na fronteira.

Mais de um milhão de pessoas que fogem da guerra e da pobreza no Oriente Médio, na África e em outros lugares chegaram à Alemanha no ano passado. O humor em relação a eles azedou após uma série de ataques a civis no mês passado, incluindo três realizados por migrantes. 

A Suíça já adotou restrições a migrantes --muitos deles africanos-- que tentam entrar pelo sul a partir da vizinha Itália depois de atravessar o Mediterrâneo. Grupos humanitários estão examinando se a postura viola as convenções de direitos humanos, que as autoridades suíças afirmam estar protegendo. 

Maurer, que como ministro das Finanças supervisiona as guardas de fronteira, usou a postura alemã para justificar a própria abordagem de enviar de volta para a Itália até 1 mil migrantes por dia, que tentavam atravessar para a Alemanha ou para outros pontos do Norte sem documentos válidos e sem pedir asilo na Suíça.

"A Alemanha está consistentemente reforçando sua fronteira com a Suíça", disse Maurer em um congresso, de acordo com comentários reproduzidos pelo jornal NZZ am Sonntag e confirmados pelo seu ministério.

O principal caminho de trânsito para a Alemanha no ano passado foi a rota das Balcãs através da Áustria, mas como os controles nas fronteiras têm sido intensificados, mais pessoas estão viajando através do Mediterrâneo e Itália.

reuters_tickers

 Reuters internacional