Reuters internacional

Homem ferido é tratado dentro de ambulância após ataque à Universidade Americana em Cabul, no Afeganistão 24/08/2016 REUTERS/Mohammad Ismail

(reuters_tickers)

Por Mirwais Harooni e Hamid Shalizi

CABUL (Reuters) - Treze pessoas, incluindo alunos e um professor, foram mortos em um ataque na Universidade Americana em Cabul, que fez com que estudantes se jogassem de janelas após pânico generalizado, informou o governo afegão nesta quinta-feira.

O ataque teve início na noite de quarta-feira com uma forte explosão, que autoridades disseram ter sido um carro-bomba, seguido por tiros, à medida que possíveis militantes entraram no complexo em que estavam funcionários estrangeiros e pupilos.

O ataque terminou no início desta quinta-feira quando dois atiradores foram mortos a tiros pelas forças especiais afegãs, que cercaram o complexo e iniciaram operação, disseram autoridades do Ministério do Interior.

O palácio presidencial afegão informou em comunicado que sete estudantes, três membros das forças de segurança, dois guardas da segurança e um professor foram mortos no ataque, que foi o segundo incidente envolvendo a universidade neste mês.

Grupos militantes islâmicos, principalmente o Taliban afegão e uma ramificação local do Estado Islâmico, reivindicaram uma série de ataques a bomba na região, mas não houve reivindicação de responsabilidade pelo ataque.

O chefe do departamento de investigação da polícia criminal de Cabul, Fraidoon Obaidi, disse à Reuters que a polícia retirou entre 700 e 750 alunos da universidade, que é popular entre jovens da elite afegã.

reuters_tickers

 Reuters internacional