Reuters internacional

Líder estudantil Joshua Wong durante evento em Hong Kong. 21/07/2016 REUTERS/Bobby Yip

(reuters_tickers)

HONG KONG (Reuters) - Um importante órgão judicial da China classificou um ativista adolescente de Hong Kong como um defensor da independência apoiado pelos Estados Unidos em um vídeo publicado na internet, que alerta contra movimentos rebeldes em todo o país.

Joshua Wong, um líder estudantil que conquistou fama aos 15 anos de idade por obrigar o governo de Hong Kong a descartar um modelo de educação nacional pró-China nas escolas, aparece em um vídeo com uma legenda que diz "potência ocidental liderada pelos norte-americanos".

O vídeo, divulgado em 1º de agosto pela Suprema Procuradoria do Povo por meio de sua conta oficial no microblog Weibo, exibe imagens angustiantes de refugiados da Ásia Central, do Oriente Médio e do leste da Europa moribundos ou em condições atrozes. Depois o vídeo contrasta estas imagens com outras de uma China forte e estável.

Hong Kong, Taiwan, Tibete e a região de Xinjiang são destacadas, assim como ativistas dissidentes que estão "prejudicando a estabilidade interna e a harmonia da China custe o que custar. Por trás de todos estes incidentes, frequentemente temos um vislumbre da sombra escura da bandeira norte-americana", diz o vídeo.

Wong, hoje com 19 anos, disse em sua página de Facebook que encarou as afirmações do vídeo como uma piada e que não advogou a independência de Hong Kong.

(Reportagem de Farah Master)

reuters_tickers

 Reuters internacional