Reuters internacional

Estátua do logo do euro vista na ex-sede do Banco Central Europeu em Frankfurt. 20/01/2015 REUTERS/Kai Pfaffenbach/Files

(reuters_tickers)

Por Jonathan Cable

LONDRES (Reuters) - A atividade empresarial na zona do euro ficou praticamente estável em agosto, mas as fábricas possivelmente terão o mês de setembro mais duro com o crescimento de novas encomendas fraquejando, mostrou nesta terça-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

O PMI Composto preliminar do Markit, atingiu 53,3 em agosto, máxima em sete meses, após leitura de 53,2 em julho. Pesquisa Reuters apontava leve queda, para 53,1. Leituras acima de 50 indicam crescimento.

"Os formuladores de política ficarão bastante encorajados de que isso está caminhando em uma direção positiva. (O quadro) parece cautelosamente otimista para a região em meio à ameaça do Brexit", disse o economista-chefe do Markit, Chris Williamson.

A pressão permanece sobre o Banco Central Europeu (BCE) para que anuncie mais medidas de flexibilização, uma vez que até o momento não conseguiu levar a inflação para a meta de perto de 2 por cento.

Williamson disse que o PMI indica um crescimento de 0,3 por cento neste trimestre, em linha com pesquisa Reuters divulgada mais cedo neste mês, mostrando uma perspectiva econômica estável mas sem brilho da zona do euro, com cerca da metade da velocidade do início do ano.

O PMI preliminar para o dominante setor de serviços da zona do euro subiu para 53,1 em agosto após 52,9 em julho. Pesquisa Reuters indicava recuo para 52,8.

Já o PMI da indústria recuou para 51,8 na leitura preliminar de agosto, após 52,0 em julho. Pesquisa Reuters apontava 52,0.

reuters_tickers

 Reuters internacional