Reuters internacional

BEIRUTE (Reuters) - Centenas de pessoas em festa tomaram as ruas de Damasco no início de sábado (horário local), e tiros de celebração foram disparados, depois que os militares da Turquia disseram ter tomado o poder do presidente Tayyip Erdogan, um dos principais adversários regionais do presidente Bashar al-Assad.

Moradores afirmaram que comboios de carros circulavam no distrito de Mazzeh da capital síria, com pessoas agitando bandeiras e gritando: “Deus, Síria e Bashar!”. Há celebrações similares em outras cidades controladas pelo governo.

O governo de Assad tem acusado Erdogan de alimentar o conflito sírio de cinco anos ao dar apoio a insurgentes islâmicos que combatem Damasco e permitindo que jihadistas estrangeiros cruzem a fronteira da Turquia com a Síria.

Um morador na parte controlada pelo governo na cidade de Aleppo, norte do país, disse que as pessoas acreditavam que “a queda de Erdogan é um anúncio do fim da crise na Síria, uma vez que ele é um dos principais responsáveis pela crise”.

Outro morador de Aleppo disse que as pessoas estavam gritando para que Erdogan fosse responsabilizado.

Uma testemunha no distrito de Jaramana, em Damasco, afirmou que houve mais tiros de celebração no local do que quando Assad foi reeleito presidente há dois anos.

(Reportagem de Kinda Makieh em Damasco e Tom Perry em Beirute)

reuters_tickers

 Reuters internacional