Reuters internacional

Pessoas saem às ruas após terremoto ser sentido em Quito. 18/5/2016. REUTERS/Kevin Granja

(reuters_tickers)

Por Alexandra Valencia

QUITO (Reuters) - Dois terremotos abalaram a costa do Equador nesta quarta-feira, causando uma morte e pequenos estragos na mesma região onde um tremor de magnitude 7,8 matou mais de 650 pessoas no mês passado.

Os sismos de magnitude 6,7 e 6,8, segundo o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), interromperam a eletricidade em algumas áreas costeiras e fizeram as pessoas correrem para as ruas até na região mais alta da capital Quito, segundo testemunhas.

O presidente equatoriano, Rafael Correa, disse que o epicentro foi o vilarejo de pescadores de Mompiche, na costa do Oceano Pacífico, a cerca de 386 quilômetros de Quito.

Ele afirmou que os tremores causaram alguns ferimentos leves porque as pessoas correram para fora de edifícios ou trombaram nas coisas, e que uma pessoa morreu em circunstâncias ainda não esclarecidas.

"Lamentamos a morte, que foi causada direta ou indiretamente pelo terremoto, de um idoso, na cidade de Tosagua", declarou ele, referindo-se a uma cidade na província costeira de Manabi.

Os terremotos causaram poucos danos, e não houve alerta de tsunami.

O segundo tremor aconteceu pouco antes do meio-dia, ainda segundo o USGS.

O terremoto de 16 de abril, o pior a vitimar o Equador em quase sete décadas, derrubou edifícios ao longo da costa. Além das fatalidades, o sismo deixou mais de 6 mil feridos, quase 29 mil pessoas desabrigadas e causou estimados 2 bilhões de dólares em danos, de acordo com a avaliação mais recente do governo.

A refinaria equatoriana de Esmeraldas, que produz 110 mil barris de petróleo por dia, estava trabalhando com 77 por cento de sua capacidade porque algumas operações foram suspensas devido ao primeiro abalo desta quarta-feira. As operações não foram afetadas pelo segundo tremor, segundo uma autoridade.

reuters_tickers

 Reuters internacional