Reuters internacional

Tubos com amostras de sangue de pacientes para teste de Zika vistos em Tegucigalpa. 15/04/2016 REUTERS/Jorge Cabrera

(reuters_tickers)

MADRI (Reuters) - A Espanha registrou o primeiro caso de um feto diagnosticado com microcefalia depois que a mãe foi infectada pelo Zika vírus, informaram autoridades de saúde espanholas na noite de quinta-feira.

A Espanha registrou até o momento 13 grávidas que contraíram o vírus depois de viajarem para o exterior, mas não há relatos até o momento de outros fetos diagnosticados com má-formação cerebral no país.

O Zika vírus, transmitido principalmente pelo mosquito Aedes aegypti, foi relacionado a milhares de casos de microcefalia no Brasil e em outros países da América Latina, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma emergência internacional.

Apesar de dezenas de pessoas na Espanha e na Europa como um todo terem contraído o Zika, normalmente após viajarem para países afetados pelo vírus, até o momento foram registrados poucos casos de bebês com sintomas de microcefalia no continente europeu.

"Uma mulher (grávida) foi infectada por Zika e dengue e o feto mostra sinais de ter desenvolvido várias má-formações", disseram autoridades de saúde da região espanhola da Catalunha em comunicado.

A mulher, que está com 20 semanas de gravidez, decidiu manter o bebê, de acordo com a mídia espanhola.

A Espanha registrou até o momento 105 casos de Zika, todos em pessoas que viajaram para o exterior. Outros países europeus, como a França, já relataram casos de transmissão sexual do vírus.

(Reportagem de Sarah White)

reuters_tickers

 Reuters internacional