Reuters internacional

Por Tuvan Gumrukcu e Ayla Jean Yackley

DIARBAQUIR/ANCARA (Reuters) - Oito pessoas, incluindo crianças, ficaram feridas quando foguetes disparados de territórios da Síria controlados pelo Estado Islâmico atingiram uma cidade fronteiriça da Turquia nesta quinta-feira, disseram autoridades e fontes de segurança.

Os bombardeios a Kilis foram os primeiros desde que rebeldes apoiados por Ancara entraram no norte da Síria no mês passado para expulsar combatentes islâmicos sunitas da fronteira sul turca. A operação, apelidada pela Turquia de "Escudo do Eufrates", foi lançada depois de meses de ataques a Kilis que reduziram partes da cidade a escombros.

"Entramos na Síria porque estes foguetes estão danificando propriedades e vidas humanas. Queremos estabelecer a segurança", disse o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, aos repórteres em Ancara. Ele disse que seis pessoas, a maioria crianças, foram feridas pela saraivada inicial.    

Os militares da Turquia disseram que dois foguetes disparados de uma região síria comandada pelo Estado Islâmico atingiram a cidade no primeiro incidente, e que rastrearam a origem dos foguetes usando radar e devolveram os disparos.

Cerca de duas horas depois, outro foguete caiu em Kilis, e os militares afirmaram ter retaliado com ataques aéreos. "Muitos alvos do Daesh foram neutralizados", disseram em um comunicado, usando o acrônimo árabe do Estado Islâmico.

Fontes de segurança relataram que mais duas pessoas ficaram levemente feridas na segunda leva de disparos de foguetes.

Pelo menos seis dos feridos são cidadãos sírios, disse Hasan Kara, prefeito de Kilis, que abriga muitos refugiados da guerra civil da Síria.

Os ataques com foguetes através da fronteira já mataram 21 pessoas e feriram 80 em Kilis desde janeiro, segundo fontes de segurança.

Os foguetes transformaram partes da cidade em ruínas e provocaram revolta contra o governo turco, que alguns moradores dizem não estar conseguindo protegê-los. Em abril a polícia usou gás lacrimogêneo para dispersar dezenas de pessoas que protestavam depois que um ataque com foguetes matou uma pessoa e feriu 26.

(Reportagem adicional de Can Sezer)

reuters_tickers

 Reuters internacional