Reuters internacional

Por John Whitesides e Steve Holland

HEMPSTEAD, Nova York (Reuters) - A democrata Hillary Clinton acusou o republicano Donald Trump de racismo, sexismo e sonegação fiscal, na noite de segunda-feira, durante um debate presidencial acalorado que pode alterar a campanha deste ano pela Casa Branca.

Trump, empresário do setor imobiliário que concorre pela primeira vez a um cargo público, disse que os muitos anos de Hillary na política representam uma "má experiência" com poucos resultados, e sugeriu que a desaprovação dela a um acordo comercial com países asiáticos não é genuína.

Para Trump, de 70 anos, o debate era uma chance de mostrar ser disciplinado. Para Hillary, de 68, era uma oportunidade de reafirmar aos eleitores que ela é digna de confiança. Ainda não se sabe como os eleitores julgaram as atuações dos candidatos.

Como um sinal de que os investidores viram Hillary como vencedora do debate, as ações na Ásia se recuperaram de perdas iniciais nesta terça e o dólar se afastou de uma mínima de um mês contra o iene. Os mercados tendem a ver Hillary como a candidata do status quo.

Em uma das discussões mais acalorados, os dois candidatos trocaram acusações sobre a controvérsia levantada por Trump durante anos sobre o local de nascimento do presidente Barack Obama.

O presidente, que nasceu no Havaí, divulgou uma certidão de nascimento completa em 2011 para acabar com as dúvidas sobre se teria nascido realmente nos Estados Unidos. Apenas neste mês Trump disse publicamente que considera que Obama nasceu nos EUA.

reuters_tickers

 Reuters internacional