Reuters internacional

Democrata Hillary Clinton e senador Tim Kaine durante evento na Virginia. 14/07/2016 REUTERS/Carlos Barria

(reuters_tickers)

Por John Whitesides e Richard Cowan

WASHINGTON (Reuters) - A democrata Hillary Clinton está prestes a anunciar o vice de sua chapa na corrida presidencial dos Estados Unidos nesta sexta-feira, depois de estudar um grupo de concorrentes liderado pelo senador Tim Kaine, do Estado da Virgínia, para ajudá-la na luta contra seu rival republicano Donald Trump.

Outro senador, Cory Booker, de Nova Jersey, e o atual secretário de Agricultura, Tom Vilsack, também estão entre os finalistas da disputa, mas Kaine tem a vantagem, disse uma fonte democrata a par das discussões.

Hillary deve anunciar seu vice para a eleição de 8 de novembro através de uma mensagem de texto no Twitter, possivelmente ainda nesta sexta-feira, quando tem dois eventos agendados de tarde na Flórida.

O jornal Wall Street Journal, citando democratas familiarizados com a seleção, relatou que a provável candidata presidencial deve fazer o anúncio nesta sexta-feira e que se acredita que Kaine será o escolhido.

A ex-secretária de Estado dos EUA será indicada formalmente na Convenção Nacional Democrata na semana que vem na Filadélfia, e sua escolha de companheiro de chapa pode dar um sinal precoce sobre seu plano para enfrentar Trump.

Escolher Kaine ou Vilsack, veteranos do establishment democrata com experiência governamental de sobra, enfatizaria sua mensagem de que os democratas irão oferecer uma alternativa firme e séria ao imprevisível Trump na esteira da caótica convenção republicana encerrada na quinta-feira.

Booker, carismático e em ascensão na legenda, poderia energizar sua candidatura no momento em que Hillary inicia os três meses intensos que a separam da votação. Booker, de 47 anos, seria o primeiro vice-presidente negro do país e poderia ajudar a intensificar o comparecimento dos eleitores jovens e afro-norte-americanos.

Outros concorrentes em potencial na lista final da ex-primeira-dama são a senadora Elizabeth Warren, de Massachusetts, querida dos liberais, o governador do Colorado, John Hickenlooper, e os secretários hispânicos Julian Castro e Thomas Perez.

reuters_tickers

 Reuters internacional