Reuters internacional

DUBAI/WASHINGTON (Reuters) - Um tribunal do Irã condenou um empresário iraniano-americano e o seu pai idoso a 10 anos de prisão sob a acusação de cooperarem com os Estados Unidos, disse a imprensa iraniana nesta terça-feira, no mais recente sinal de um aumento da repressão contra iranianos com laços com o Ocidente.

A Guarda Revolucionária do Irã prendeu em outubro de 2015 Siamak Namazi, um empresário na casa dos 40 anos, enquanto ele visitava a família em Teerã. A guarda prendeu em fevereiro o pai dele, Baquer Namazi, de 80 anos, um ex-governador de província no Irã e ex-representante do Unicef, que também tem dupla cidadania.

Os dois homens foram condenados a 10 anos de prisão por espionar e cooperar com o governo dos EUA, disse Abbas Jafari Dolatabadi, promotor de Teerã, segundo o site de notícia Fars, sem especificar quando exatamente as sentenças foram dadas.

Mark Toner, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, afirmou que pai e filho foram “presos injustamente” no Irã e pediu a libertação imediata.

As sentenças são as mais recentes contra cidadãos de dupla nacionalidade determinadas por linhas-duras que são poderosos no Judiciário e nas forças de segurança do Irã, após o histórico acordo nuclear do país com os EUA e outros países no ano passado.

(Por Bozorgmehr Sharafedin e Yeganeh Torbati)

reuters_tickers

 Reuters internacional