Reuters internacional

Ministro do Brexit, David Davis, durante encontro em Londres. 29/11/2016 REUTERS/Toby Melville

(reuters_tickers)

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido vai considerar fazer pagamentos à União Europeia depois de deixar o bloco para alcançar o melhor acesso possível ao mercado europeu para as empresas britânicas, afirmou o ministro do Brexit, David Davis, nesta quinta-feira.

O governo está formulando sua posição de negociação antes das conversas formais de separação no próximo ano, e as empresas britânicas têm buscado a garantia de que não vai haver um "Brexit duro", priorizando a restrição da imigração sobre a permanência no mercado único da UE.

A libra atingiu a máxima de quase três meses após os comentários de Davis.

O ministro foi questionado repetidamente pelos parlamentares durante uma sessão regular de perguntas no Parlamento sobre a perspectiva de ter que contribuir com o orçamento da UE.

"A retirada da UE significa que as decisões sobre como gastamos o dinheiro dos contribuintes serão feitas no Reino Unido", disse.

Perguntado pela oposição trabalhista se o governo consideraria fazer uma "contribuição de qualquer forma" para o acesso ao mercado único da UE, Davis disse que sim.

(Por Kylie MacLellan)

reuters_tickers

 Reuters internacional