Reuters internacional

Primeiro-ministro tailandês, Prayuth Chan-ocha, durante cerimônia em Bangcoc após morte do rei Bhumibol Adulyadej. 14/10/2016 REUTERS/Athit Perawongmetha

(reuters_tickers)

BAGCOC (Reuters) - O "roteiro" elaborado pelo governo militar da Tailândia para restaurar a governança democrática, o que inclui uma eleição geral em 2017, não será afetado pela morte do rei Bhumibol Adulyadej na semana passada, disse o primeiro-ministro tailandês, Prayuth Chan-ocha, nesta terça-feira.

"Nada mudou", disse ele aos repórteres após uma reunião de gabinete. "As políticas deste governo, as leis --incluindo eleições-- serão de acordo com o roteiro. Não me perguntem quando ou como irá ocorrer, o roteiro é o roteiro."

Houve alguma especulação de que a junta, que assumiu o poder com um golpe de Estado em 2014, poderia adiar a votação porque o país irá observar um ano de luto pelo falecido monarca.

    (Por John Chalmers)

reuters_tickers

 Reuters internacional