Reuters internacional

Presidente sírio, Bashar al-Assad, ao lado de esposa, Asma, durante cerimônia em Damasco. 21/03/2016 REUTERS/SANA/Handout via Reuters

(reuters_tickers)

MOSCOU (Reuters) - A esposa do presidente sírio, Bashar al-Assad, afirmou que inimigos de seu marido ofereceram a ela a chance de deixar a Síria para tentar abalá-lo, mas disse não ter deixado o país desde o início da guerra.

Em entrevista em inglês à rede russa Rossiya 24, Asma Assad, ex-banqueira de investimentos nascida em Londres, não disse quem fez as ofertas.

Mas ela afirmou que as pessoas que tentaram fazer com que ela fugisse não eram sírias e que as ofertas eram "estúpidas".

"Estive aqui desde o início e nunca pensei em estar em qualquer outro lugar", disse Asma, de 41 anos e mãe de três filhos, à Rossiya 24, em entrevista transmitida na terça-feira.

"Sim, recebi a oportunidade de deixar a Síria, ou melhor, de correr da Síria. Estas ofertas incluíam garantias de segurança e proteção para minhas crianças ou até mesmo segurança financeira", disse.

"Não precisa ser um gênio para saber do que estas pessoas realmente estavam atrás. Foi uma tentativa deliberada de quebrar a confiança do povo em seu presidente."

(Reportagem de Andrew Osborn e Polina Devitt)

reuters_tickers

 Reuters internacional