Reuters internacional

Manifestação contra o governo de Maduro em Caracas. 16/9/2016. REUTERS/Henry Romero

(reuters_tickers)

CARACAS (Reuters) - A oposição venezuelana convocou nesta quinta-feira uma jornada de grandes manifestações em protesto contra as condições para o recolhimento de assinaturas que permitam a convocação de um referendo para revogar o governo do presidente Nicolás Maduro.

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) disse na noite de quarta-feira que o plebiscito para encurtar o governo do presidente socialista ocorreria em meados do primeiro trimestre de 2017, praticamente descartando a realização da votação neste ano, como quer a oposição.

A coalizão opositora Unidade Democrática quer fazer o referendo antes de 10 de janeiro porque se ele ocorrer depois e Maduro perder, como indicam várias pesquisas, não haveria uma nova eleição, e o vice-presidente completaria o mandato até o início de 2019.

"As condições contradizem o espírito e o texto da Constituição”, disse o secretário-executivo do movimento opositor, Jesús Torrealba, no seu programa na emissora RCR.

"O que virá é uma jornada nacional de mobilização, um grande protesto pacífico, mas enérgico, em defesa da Constituição. Esses senhores vão se encontrar com um país pronto para a luta”, acrescentou Torrealba.

(Por Deisy Buitrago e Diego Oré)

reuters_tickers

 Reuters internacional