Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Primeira-ministra britânica, Theresa May, durante conferência do Partido Conservador, em Manchester 04/10/2017 REUTERS/Phil Noble

(reuters_tickers)

Por Guy Faulconbridge e Costas Pitas

LONDRES (Reuters) - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, deveria renunciar para poupar o Partido Conservador de uma derrota na próxima eleição, e 30 parlamentares conservadores apoiam um complô para derrubá-la, disse um ex-líder da legenda nesta sexta-feira.

No momento em que o país entra em uma fase crucial das conversas sobre sua desfiliação da União Europeia, o chamado Brexit, May está enfrentando uma rebelião explícita de alguns de seus próprios parlamentares, que dizem que sua autoridade foi destruída após o discurso que ela faz em uma conferência do partido na quarta-feira.

Ministros veteranos ofereceram apoio a May, dizendo que ela deveria continuar como premiê em uma conjuntura tão crítica para o Reino Unido. Não se vislumbra um sucessor viável no partido que possa uni-lo em relação ao Brexit.

Mas o ex-líder Grant Shapps disse à rádio BBC: "Acho que ela deveria convocar uma eleição para a liderança".

Tendo em conta a eleição fracassada de May, sua incapacidade de unir o gabinete e sua atuação ruim na conferência, "a mensagem está clara", disse.

A autoridade de May já havia diminuído devido à sua decisão de convocar uma eleição antecipada em junho que custou ao partido sua maioria parlamentar dias antes do início das conversas do Brexit.

Em um pronunciamento após a declaração de Shapps, a primeira-ministra disse que irá garantir uma “liderança calma” ao país. “O que o país precisa é de uma liderança calma, e isso é o que estou garantindo com o apoio total do meu gabinete”, disse May em declaração à imprensa.

Embora nenhum ministro conservador tenha declarado apoio ao complô publicamente, uma exigência tão clara pela renúncia de May indica a extensão de sua fraqueza no momento em que tenta lidar com as complicações das negociações para a saída da UE.

Até agora sua sobrevivência vem dependendo da ausência de um sucessor óbvio que consiga congregar o partido e do medo de uma eleição que, para muitos conservadores, pode levar o líder opositor trabalhista Jeremy Corbyn ao poder.

A libra esterlina atingiu seu valor mais baixo em relação à moeda norte-americana em um mês nesta sexta-feira, chegando a 1,3060 dólar no pregão matutino em Londres, sua cotação mais baixa desde 7 de setembro e um recuo de quase meio por cento no dia.

May não é fotografada em público desde que deixou o salão de conferência, onde seu discurso a ativistas foi arruinado por surtos de tosse, a interrupção de um comediante que lhe entregou uma carta de demissão falsa e a queda de letras dos slogans no palco às suas costas.

(Reportagem adicional de Alistair Smout)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










Reuters