Reuters internacional

GAZIANTEP, Turquia (Reuters) - Pelo menos 51 pessoas morreram em um ataque causado por um homem-bomba com idade entre 12 e 14 anos em um festa de casamento na cidade turca de Gaziantep, na noite de sábado, disse o presidente da Turquia, Tayyip Erdogan.

O presidente Tayyip Erdogan disse que é provável que os militantes do Estado Islâmicos sejam os responsáveis pelo ataque, o mais mortífero atentado este ano na Turquia, que enfrenta ameaças de militantes no país e da Síria.

"A evidência inicial sugere que foi um ataque Daesh", disse Erdogan em Istambul no domingo, usando um nome árabe para o grupo sunita. Ele disse que 69 pessoas foram hospitalizadas, sendo que 17 foram "gravemente feridas".

Um colete suicida destruído foi encontrado no local da explosão, disseram autoridades.

O Estado Islâmico foi responsabilizado por outros ataques na Turquia, sendo que o mais mortal havia sido em outubro passado, em uma reunião de ativistas pró-curdos e trabalhistas em Ancara, quando homens-bomba mataram mais de 100 pessoas.

Há apenas algumas semanas, Erdogan e seu governo sobreviveram a uma tentativa de golpe.

A festa de casamento neste sábado era para um membro do Partido Democrático do Povo pró-curdos, ele disse, e o noivo estava entre os feridos. A noiva não ficou ferida, disse uma autoridade local.

Mulheres e crianças, incluindo um bebê de três meses, estavam entre os mortos, segundo testemunhas.

(Reportagem de Dasha Afanasieva, Daren Butler, Humeyra Pamuk e Ayla Jean Yackley)

reuters_tickers

 Reuters internacional