Reuters internacional

Ministro britânico das Relações Exteriores, Boris Johnson, durante encontro em Londres. 16/10/2016 REUTERS/Justin Tallis/Pool

(reuters_tickers)

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido deveria tomar a dianteira na manutenção das sanções à Rússia por conta das ações de Moscou na Síria e na Ucrânia, disse o ministro britânico das Relações Exteriores, Boris Johnson, nesta terça-feira, acrescentando que não é possível "continuar tudo como está".

"É claro que é certo que o Reino Unido e a Federação Russa deveriam continuar cooperando e se engajando em todas as áreas nas quais temos interesses em comum", disse ele ao parlamento.

    "Mas em vista do comportamento implacável e brutal dos russos na Ucrânia e na Síria... é certo que o Reino Unido deveria estar na dianteira mantendo pressão nas sanções e que não é possível continuar tudo como está com a Rússia".

    A União Europeia e os Estados Unidos impuseram sanções a bancos e indivíduos russos próximos do presidente da Rússia, Vladimir Putin, em 2014 após as ações de Moscou na Ucrânia.

    (Por William James)

reuters_tickers

 Reuters internacional