Reuters internacional

MOSCOU (Reuters) - Centenas de russos protestaram em Moscou nesta terça-feira contra a nova legislação antiterrorismo aprovada pelo presidente Vladimir Putin, que críticos dizem que limitará liberdades básicas e facilitar a repressão a dissidentes pelas autoridades.

No parque Sokolniki, em Moscou, ativistas fizeram discursos criticando a nova legislação, enquanto algumas pessoas carregavam cartazes em que se lia "abaixo a repressão política" e "repressão é medo diante de seu próprio povo".

O líder da oposição, Alexei Navalny, pediu que os presentes se inspirassem nos protestos contra Putin ocorridos em 2011 e 2012. "Nós devemos retornar às ruas", gritou Navalny para a multidão. "Nós libertaremos a Rússia."

O novo pacote de leis antiterrorismo, liderado pela proeminente parlamentar Irina Yarovaya, do partido Russia Unida, a favor do Krelim, foi transformado em lei por Putin em julho.

Ele endurece as punições para extremismo, introduz condenações à prisão por falta de denúncias a crimes graves, uma prática da era Soviética, e aumenta o número de crimes pelos quais os russos podem ser processados a partir dos 14 anos.

O pacote também obriga as operadores de redes a armazenar registros de ligações, imagens e mensagens de seus usuários por meio ano, assim como os dados destas ligações por um período ainda maior.

(Por Alexander Winning e Gennady Novik)

reuters_tickers

 Reuters internacional