Reuters internacional

Pré-candidato democrata à Presidência dos EUA Bernie Sanders durante evento na Califórnia. 22/05/2016 REUTERS/Alex Gallardo

(reuters_tickers)

Por John Whitesides

WASHINGTON (Reuters) - O pré-candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos Bernie Sanders intensificou sua briga com líderes do partido no domingo, apoiando uma candidatura de oposição à presidente do conselho do Comitê Nacional Democrata e acusando o establishment da legenda de tentar ungir Hillary Clinton como indicada democrata.

Em uma série de entrevistas na TV, Sanders manteve o tom desafiador, apesar do que reconheceu ser uma batalha encarniçada para superar a favorita Hillary.

A ex-secretária de Estado disse já se considerar a indicada de fato e volta sua atenções cada vez mais a Donald Trump, tendo dito no domingo que a retórica do provável candidato presidencial republicano é perigosa.

Sanders disse no programa "This Week", da rede ABC, que os norte-americanos não deveriam ter que escolher entre "o menor de dois males" na eleição de 8 de novembro.

O senador de Vermont disse que, se conquistar a Casa Branca, não voltará a indicar a deputada Debbie Wasserman Schultz como presidente do conselho do comitê partidário e endossou o professor de direito Tim Canova, que está desafiando a congressista da Flórida na primária democrata de agosto.

"Francamente, acho que o Partido Democrata diz respeito a correr para as casas dos ricos e arrecadar quantidades obscenas de dinheiro de pessoas ricas. O que precisamos fazer é dizer às pessoas da classe trabalhadora: estamos do seu lado", disse Sanders.

reuters_tickers

 Reuters internacional