Reuters internacional

Por Julie Steenhuysen

CHICAGO (Reuters) - O surto de Zika que se espalha pela América Latina atualmente provavelmente irá se esgotar nos próximos dois a três anos, tendo por base o fato de que as pessoas criam imunidade ao vírus após uma infecção inicial, disseram cientistas britânicos nesta quinta-feira.

Os pesquisadores, cujo trabalho foi publicado na revista científica Science, estimaram que as infecções do vírus transmitido por mosquitos vão se disseminar tanto nos países afetados que as populações desenvolverão o que é chamado de "imunidade de rebanho".

    Isto ocorre quando uma alta porcentagem de uma população se torna imune a uma infecção, seja por meio do desenvolvimento de uma imunidade natural, seja por meio da vacinação, o que torna uma epidemia mais ampla menos provável.

Isso evitaria novas transmissões do Zika por pelo menos uma década, com a ocorrência tão somente de surtos menores e intermitentes, disseram eles.

"Como o vírus é incapaz de infectar a mesma pessoa duas vezes –graças ao fato de que o sistema imunológico cria anticorpos para matá-lo–, a epidemia alcança um estágio no qual sobram muito poucas pessoas para infectar para que a transmissão se sustente", explicou o autor do estudo, Neil Ferguson, da Escola de Saúde Pública do Imperial College de Londres, em um comunicado.

Não existe vacina nem tratamento específico para o Zika.

    A pesquisa se baseou em modelos matemáticos do vírus, que já se provou causar microcefalia, uma má-formação craniana.

A conexão entre o Zika e a microcefalia veio à luz pela primeira vez no ano passado no Brasil, que já confirmou mais de 1.600 casos de microcefalia, que o país considera relacionada a infecções de Zika em gestantes.

Os pesquisadores compararam dados de transmissão do Zika em toda a América Latina com dados de vírus semelhantes, como o da dengue, para criarem um modelo de projeção de transmissão do Zika. Eles preveem que a transmissão em larga escala irá terminar em dois a três anos e que não irá ressurgir durante uma década.

Padrões semelhantes foram vistos em infecções virais relacionadas, como a da febre chikungunya, disse Ferguson. Segundo ele, pode ser tarde demais para tentar controlar as populações de mosquito de forma a evitar uma transmissão generalizada do Zika, e os esforços de eliminação do inseto podem atrasar e prolongar o surto, que irá se extinguir naturalmente. 

reuters_tickers

 Reuters internacional