Reuters internacional

O candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, discursa em comício em Fairfield, no Connecticut 13/08/2016 REUTERS/Michelle McLoughlin

(reuters_tickers)

WASHINGTON (Reuters) - O candidato presidencial republicano Donald Trump deve arrumar sua turbulenta campanha até o Dia do Trabalho ou desistir, defendeu o jornal Wall Street Journal nesta segunda-feira, em um alerta contundente partindo de uma importante voz conservadora.

"O senhor Trump tem alienado seu partido e não está fazendo uma campanha competente", opinou o diário em um editorial.

    O conselho editorial do jornal, que normalmente favorece os republicanos, vem se mostrando crítico a Trump, mas o alerta desta segunda-feira foi seu ataque mais forte até o momento e ecoou a ansiedade crescente de muitos republicanos a respeito do estado da campanha de Trump.

    O empresário nova-iorquino do setor imobiliário, que jamais ocupou um cargo público, se atolou em um lodaçal de polêmicas, e as pesquisas de opinião o mostram atrás de sua rival democrata Hillary Clinton na corrida para a eleição de 8 de novembro.

    A "janela para uma reviravolta (de Trump) está se fechando", disse o Wall Street Journal, exortando seus apoiadores a pressionarem o candidato para que adote um já prometido "eixo" de uma postura presidencial e uma campanha mais disciplinada.

    "Se eles não conseguirem que o senhor Trump mude de atitude até o Dia do Trabalho, o Partido Republicano não terá escolha além de descartar o candidato, por ser inviável, e se concentrar em salvar as disputas no Senado e na Câmara dos Deputados", disse o WSJ.

    O Dia do Trabalho, comemorado este ano nos Estados Unidos em 5 de setembro, assinala o fim das férias de verão do país e tradicionalmente lança a fase final da longa temporada eleitoral dos EUA.

    "Quanto ao senhor Trump, ele precisa parar de culpar todos os outros e decidir se quer se comportar como alguém que quer ser presidente --ou entregar a candidatura a Mike Pence", disse o jornal em referência ao governador do Estado de Indiana e vice de Trump na chapa presidencial.

    Trump vem provocando polêmicas repetidamente nas semanas transcorridas desde que se tornou oficialmente o candidato presidencial republicano, em julho, apesar dos apelos de líderes partidários para que se concentre em temas que podem lhe garantir a vitória na eleição.    

    Aparecendo atrás nas pesquisas feitas em Estados muito disputados, Trump passou a se apresentar cada vez mais como uma vítima da mídia.

    O Wall Street Journal disse que Trump se equivoca ao acreditar que seus comícios barulhentos irão se transformar em votos e que pode livrar a cara contando com as redes sociais ao invés de investir para competir nos Estados muito disputados.

    (Por Doina Chiacu)

reuters_tickers

 Reuters internacional