Reuters internacional

WASHINGTON (Reuters) - O pré-candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos Donald Trump atacou os rivais Ted Cruz e John Kasich nesta segunda-feira por fazerem um acordo de divisão de Estados para tentar bloquear a nomeação presidencial de Trump no Partido Republicano.

O magnata do setor imobiliário e personalidade da TV reagiu ao acordo incomum dizendo que é "triste" que dois colegas republicanos se juntem para derrotá-lo.

"Conspiração é muitas vezes ilegal em muitos outros setores e mesmo assim, duas pessoas com intimidade em Washington tiveram que conspirar para se manter vivos", disse Trump em comunicado. "Eles estão matematicamente mortos e esta ação só mostra, como marionetes dos doadores e interesses especiais, como verdadeiramente são fracos e como suas campanhas são."

No domingo, as campanhas de Cruz e Kasich anunciaram um acordo de concentração de esforços e recursos em Estados onde possuem mais chances. Cruz irá focar na primária de Indiana, em 3 de maio, sem competição de Kasich, ao mesmo tempo que deixará de lado Oregon e Novo México, em 17 de maio e 7 de junho, a favor de Kasich.

Cruz, senador do Texas, e Kasich, governador de Ohio, esperam que seus esforços enfraqueçam Trump nesses Estados e façam com que ele não consiga o número de delegados necessário para a nomeação republicana.

reuters_tickers

 Reuters internacional