Reuters internacional

Bandeira norte-coreana vista em Genebra. 02/10/2014 REUTERS/Denis Balibouse/File Photo

(reuters_tickers)

Por James Pearson e Ju-min Park

SEUL (Reuters) - O vice-embaixador da Coreia do Norte em Londres desertou com sua família para a Coreia do Sul, informaram autoridades sul-coreanas nesta quarta-feira, o que faz dele o diplomata mais graduado de Pyongyang a fugir do regime isolado rumo ao vizinho democrático do sul.

Em Seul, o Ministério da Unificação não quis dizer quando ou como Thae e seus familiares chegaram, ou quantos parentes o acompanhavam.

Thae desertou devido a seu descontentamento com o regime de Kim Jong Un na Coreia do Norte e pelo futuro de seu filho, disse o porta-voz do ministério, Jeong Joon-hee, em uma coletiva de imprensa. Não ficou claro em coreano se Jeong se referia a mais de uma criança.

"Sabemos que o vice-embaixador Thae está dizendo que seu desgosto com o regime de Kim Jong Un e o anseio pelo sistema democrático livre da República da Coreia e pelo futuro de seu filho são motivos para sua deserção", disse Jeong em referência à Coreia do Sul, acrescentando que Thae e sua família estão sob proteção do governo.

A empobrecida Coreia do Norte e a próspera Coreia do Sul ainda estão tecnicamente em guerra, já que o conflito de 1950-53 terminou com um armistício, não um tratado de paz.

O anúncio veio um dia depois de uma reportagem noticiar que um diplomata norte-coreano eminente, mais tarde identificado pela rede britânica BBC como Thae, havia desertado.

Mais cedo, um funcionário da embaixada norte-coreana em Londres não quis confirmar a deserção, descrevendo os relatos do evento como "bastante repentinos".

reuters_tickers

 Reuters internacional