Direto para o contenido
Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

Refugiados


Deputada suíça é presa com menores clandestinos


 Outras línguas: 2  Línguas: 2

Uma parlamentar do cantão do Ticino, no sul da Suíça, e seu motorista foram presos na quinta-feira, acusados de ajudar quatro jovens imigrantes africanos a entrar ilegalmente no país a partir da Itália.

Lisa Bosia Mirra participa de uma delegação parlamentar que acompanha a situação dos imigrantes acampados em um parque na cidade de Como, na vizinha Itália (Keystone)

Lisa Bosia Mirra participa de uma delegação parlamentar que acompanha a situação dos imigrantes acampados em um parque na cidade de Como, na vizinha Itália

(Keystone)

Lisa Bosia Mirra, deputada estadual do cantão do Ticino e fundadora do grupo de apoio aos refugiados Firdaus, foi presa em Stabio, no cantão de Ticino, região da Suíça de língua italiana. A parlamentar já foi liberada, confirmou a polícia e o Ministério Público do Ticino.

A polícia do Ticino acusa a deputada e um homem do cantão de Berna de 53 anos de ajudar quatro menores africanos a atravessar ilegalmente a fronteira com a Suíça em uma van. O motorista continua detido e um inquérito sobre imigração clandestina foi aberto.

Mirra, de 43 anos, estava em Chiasso, cidade suíça na fronteira com a Itália, participando de uma conferência de imprensa organizada na quarta-feira por ONGs preocupadas com a situação de várias centenas de migrantes barrados em Como, na Itália, desde julho, após a Suíça ter reforçado seus controles na fronteira.

Tapando a peneira

A fronteira da Suíça com a Itália tornou-se um ponto crítico na crise dos refugiados na Europa, com pessoas se acumulando ao longo da fronteira da Itália.

O ministro suíço Ueli Maurer defendeu o trabalho dos guardas de fronteira suíços, dizendo que os requerentes de asilo que tentam passar pela Suíça estavam sendo reenviados à Itália em conformidade com a lei.

As autoridades suíças culpam o acúmulo na fronteira italiana em razão do fluxo de imigrantes africanos que procuram uma passagem para países do norte da Europa, como a Alemanha. A maioria dos milhares de imigrantes que tentam chegar à Suíça através do Ticino está sendo barrada desde o início de julho.

Convenção internacional sobre os direitos da criança

A deputada estadual e outras ONGs, como a Anistia Internacional, criticam as autoridades suíças pelo tratamento dos menores não acompanhados que tentam entrar na Suíça através da Itália.

Elas exigem que as autoridades suíças esclareçam suas políticas, principalmente a questão das crianças que são enviadas de volta à Itália e impedidas de se juntar aos membros da família na Suíça.

A Anistia Internacional suíça afirma que o país está desconsiderando os direitos das crianças e adolescentes na fronteira.

A Anistia Internacional diz que as autoridades suíças são obrigadas a respeitar a convenção das Nações Unidas sobre os direitos das crianças, identificando corretamente os meninos e meninas desacompanhados - cada um dos quais tem o direito de pedir asilo na fronteira com a Suíça - e, em seguida, permitindo-lhes se reunir com suas famílias.

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch com agências

Direitos Autorais

Todos os direitos reservados. O conteúdo do site da swissinfo.ch é protegido por direitos autorais. Ele é destinado apenas para uso privado. Qualquer outro uso do conteúdo do site além do uso acima estipulado, especialmente no que diz respeito à distribuição, modificação, transmissão, armazenagem e cópia, requer a autorização prévia por escrito da swissinfo.ch. Caso você esteja interessado em algum desses tipos de uso do conteúdo do site, entre em contato conosco através do endereço contact@swissinfo.ch.

No que diz respeito ao uso para fins privados, só é permitido o uso de hyperlink para um conteúdo específico e para colocá-lo no seu próprio site ou em um site de terceiros. O conteúdo do site da swissinfo.ch só poderá ser incorporado em um ambiente livre de publicidade sem quaisquer modificações. Especificamente aplicável a todos os softwares, pastas, dados e seus respectivos conteúdos disponibilizados para download no site da swissinfo.ch, uma licença básica, não exclusiva e não transferível é concedida de forma restrita a um único download e gravação de tais dados em dispositivos privados. Todos os outros direitos permanecem sendo de propriedade da swissinfo.ch. Em especial, proíbe-se qualquer venda ou uso comercial desses dados.

×