Soldados suíços armados no exterior

Exercício de tiro da sétima tropa Swisscoy antes da viagem ao Kosovo

Exercício de tiro da sétima tropa Swisscoy antes da viagem ao Kosovo

(Keystone)

Pela primeira vez participam soldados suíços armados numa missão de paz no exterior. As tropas quebram uma antiga tradição do país.

A 7ª tropa da Swisscoy inicia na quinta-feira sua viagem para o Kosovo, parte da República Sérvia. Eles permanecerão seis meses por lá.

Pela sétima vez a Suíça está enviando soldados para missões de paz no Kosovo (Swisscoy). A tropa é composta de 170 homens e 8 mulheres, que estarão levando para sua proteção rifles e revolveres.

"De acordo com a tradição militar, os soldados estarão armados. Isso significa que cada um deles estará embarcando nos aviões, trazendo consigo as suas próprias armas", afirmou Urs Casparis, porta-voz da seção Manutenção de Paz do Estado-Maior das Forças Armadas da Suíça.

Para essa missão está prevista a utilização de armamento pesado. Ao mesmo tempo, as tropas irão receber cinco veículos blindados que estarão, ao contrário das experiências passadas, equipados com metralhadoras e lançadores de bombas de fumaça. A Swisscoy terá também à sua disposição helicópteros de transporte do tipo Super Puma, que irão trabalhar em conjunto com as tropas alemães das Forças Internacionais de Paz para o Kosovo (KFOR).

Autorização por decreto popular

Até hoje era impensável para soldados suíços a utilização de armas no exterior devido à posição de neutralidade do país. A Suíça só participava de missões multinacionais no papel de observadores militares da ONU ou como "boinas amarelas" da Organização de Segurança e Trabalho Conjunto da Europa (OSZE).

Essa situação foi modificada, porém, através de um plebiscito popular realizado em 10 de junho de 2001. A mudança na Lei Militar foi aprovada por 51 por cento dos votantes. Depois da aprovação das mudanças, o parlamento concordou em setembro com a proposta de armar a Swisscoy, passando também o seu numero de integrantes de 160 para até 220 soldados.

Essa mudança não foi fácil, pois dois movimentos populares - "Ação para uma Suíça Independente e Neutra" e "Grupo Suíça sem Forças Armadas" - lutaram contra a proposta do governo, através do lançamento de uma forte campanha publicitária.

Justificação

A justificação do uso de armas pelos soldados da Suíça é dada pelos militares através de aspectos práticos: "Agora nós poderemos participar ativamente da vigilância dos campos e nos postos de controle no Kosovo", afirma Walter Schweizer, tenente-coronel e comandante do 5° Grupo da Swisscoy.
swissinfo

Breves

Swisscoy (sétima tropa)
- Máximo 250 pessoas
- Armas pessoais: rifle ou pistola
- 5 tanques de rodas, armados com metralhadorras
- 1 helicóptero do tipo Super Puma



Links

×