Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

Soldados suíços armados no exterior

Pela primeira vez participam soldados suíços armados numa missão de paz no exterior. As tropas quebram uma antiga tradição do país.

A 7ª tropa da Swisscoy inicia na quinta-feira sua viagem para o Kosovo, parte da República Sérvia. Eles permanecerão seis meses por lá.

Pela sétima vez a Suíça está enviando soldados para missões de paz no Kosovo (Swisscoy). A tropa é composta de 170 homens e 8 mulheres, que estarão levando para sua proteção rifles e revolveres.

"De acordo com a tradição militar, os soldados estarão armados. Isso significa que cada um deles estará embarcando nos aviões, trazendo consigo as suas próprias armas", afirmou Urs Casparis, porta-voz da seção Manutenção de Paz do Estado-Maior das Forças Armadas da Suíça.

Para essa missão está prevista a utilização de armamento pesado. Ao mesmo tempo, as tropas irão receber cinco veículos blindados que estarão, ao contrário das experiências passadas, equipados com metralhadoras e lançadores de bombas de fumaça. A Swisscoy terá também à sua disposição helicópteros de transporte do tipo Super Puma, que irão trabalhar em conjunto com as tropas alemães das Forças Internacionais de Paz para o Kosovo (KFOR).

Autorização por decreto popular

Até hoje era impensável para soldados suíços a utilização de armas no exterior devido à posição de neutralidade do país. A Suíça só participava de missões multinacionais no papel de observadores militares da ONU ou como "boinas amarelas" da Organização de Segurança e Trabalho Conjunto da Europa (OSZE).

Essa situação foi modificada, porém, através de um plebiscito popular realizado em 10 de junho de 2001. A mudança na Lei Militar foi aprovada por 51 por cento dos votantes. Depois da aprovação das mudanças, o parlamento concordou em setembro com a proposta de armar a Swisscoy, passando também o seu numero de integrantes de 160 para até 220 soldados.

Essa mudança não foi fácil, pois dois movimentos populares - "Ação para uma Suíça Independente e Neutra" e "Grupo Suíça sem Forças Armadas" - lutaram contra a proposta do governo, através do lançamento de uma forte campanha publicitária.

Justificação

A justificação do uso de armas pelos soldados da Suíça é dada pelos militares através de aspectos práticos: "Agora nós poderemos participar ativamente da vigilância dos campos e nos postos de controle no Kosovo", afirma Walter Schweizer, tenente-coronel e comandante do 5° Grupo da Swisscoy.
swissinfo

Breves

Swisscoy (sétima tropa)
- Máximo 250 pessoas
- Armas pessoais: rifle ou pistola
- 5 tanques de rodas, armados com metralhadorras
- 1 helicóptero do tipo Super Puma



Links

×