Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Solteiros e desqualificados Crianças e divórcios aumentam dependência de benefícios

Mães solteiras são as que mais dependem dos pagamentos de benefícios sociais para garantir sua subsistência

(Keystone/Christof Schuerpf)

Mães solteiras, bem como os homens divorciados, correm o maior risco de dependência dos pagamentos de assistência social na Suíça. Os mais recentes números apontam um aumento no número de pedidos de benefícios.

Uma pesquisa realizada em 14 cidades e vilarejos no ano passado descobriu que o grupo de beneficiários continua a crescer e vive principalmente em cidades e regiões suburbanas.

A cidade bilingue alemã-francesa de Biel / Bienne permanece no topo da lista com uma taxa de quase 12%.

As razões para o recente aumento nos beneficiários de assistência social de 5,2% são o crescimento da população, maior desemprego, e um aumento no número de pessoas que já esgotaram seu prazo de salário-desemprego, dizem os especialistas.

O estudo descobriu que a maioria dos beneficiários tem nacionalidade suíça, mas um número crescente de imigrantes de fora da Europa vive por conta dos benefícios públicos.

Integração 

Em muitos casos, são pessoas com status de refugiado ou com permissão de residência temporária nas cidades, disseram autoridades em uma coletiva de imprensa na terça-feira.

A Associação das Cidades e Municípios Suíços, que encomendou o relatório, reiterou a necessidade de impulsionar programas que incentivem a integração no mercado de trabalho em um esforço para limitar o risco de pobreza.

Em média, os beneficiários recebem pagamentos de assistência social ao longo de um período de 42 meses. Isso poderia ser reduzido consideravelmente se as autoridades interviessem logo no início, argumentam os especialistas.

swissinfo.ch com agências/ets

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×