Direto para o contenido
Your browser is out of date. It has known security flaws and may not display all features of this websites. Learn how to update your browser[Fechar]

Suíços começam vida nova em Nova Berna


Por Rita Emch, New Bern


John P. e Hanna Sturman e o símbolo da loja segurando a bandeira do cantão de Berna. (swissinfo.ch)

John P. e Hanna Sturman e o símbolo da loja segurando a bandeira do cantão de Berna.

(swissinfo.ch)

Uma loja de souvenirs típicos da Suíça em "New Bern", nos Estados Unidos, oferece lembranças do país alpino aos visitantes da antiga colônia suíça na América do Norte.

O casal de suíços de Berna, John P. e Hanna Sturman, tentou uma vida nova na pequena cidade da costa leste dos Estados Unidos com a loja "Bern Bear Gifts".

Perto da entrada da loja, um urso do tamanho de um homem segura a bandeira do cantão de Berna na pata. Dentro da loja há todo tipo de lembranças típicas da capital suíça e outros produtos suíços como a mostarda, chocolate e cubos de caldo.

O senhor Sturman é um entusiasmado defensor do patrimônio suíço de New Bern, a Nova Berna dos Estados Unidos. O comerciante tem suas raízes no cantão de Berna: "Minha avó imigrou da região de Riggisberg, no final do século XIX, para os Estados Unidos".

De Heidelberg para a Suíça

Esta relação com suas origens foi reforçada quando conheceu sua futura esposa, Hanna, que também vem do mesmo cantão da avó. Em 1956, o senhor Sturman aproveitou uma dispensa do serviço militar que cumpria nas tropas americanas estacionadas em Heidelberg, na Alemanha, para conhecer pela primeira vez a Suíça.

Foi na terra de seus antepassados que ele conhece sua futura esposa. "Nos encontramos algumas vezes antes de John voltar aos Estados Unidos. Pensei comigo, valeu mesmo a pena passar esse momento com ele", conta Hanna Sturman.

John escreve para ela cartas dos Estados Unidos, aprofundando gradualmente sua relação com a suíça. John Sturman conta com uma risada: "Ela me envolveu e trouxe um país com ela".

Emigração para os EUA

Para se encontrar com John nos Estados Unidos, Hanna precisava conseguir um visto de entrada. "Eu precisava de um ‘patrocinador’ para a viagem e o pai de John acabou assumindo esse papel".

Finalmente, ela consegue todos os documentos necessários para viajar para os Estados Unidos. "Mas hesitei até o último momento. Tinha, entre outras coisas, muita saudade da minha mãe". Hanna era a filha mais nova e a última a sair de casa.

Mas foi a mãe dela que acabou a convencendo de que deveria aproveitar a oportunidade. "Então, viajei para os Estados Unidos no final de 1958, um pouco antes de vencer meu visto de entrada".

Outra cultura

O pai de John trabalhava para a empresa de tratores “John Deere” e tinha conseguido para a futura nora um emprego de secretária. "Isso não foi assim tão fácil, principalmente porque meu inglês não era fluente e também tinha que me acostumar com uma cultura bem diferente".

Hanna Sturman menciona entre outras diferenças, a natureza direta de muitos americanos que fazem algumas perguntas muito pessoais, mesmo quando quase não conhecem a pessoa. "Isso, para nós europeus, é algo que não estamos muito acostumados".

Mas a suíça persevera e os dois se casam. John completa os estudos e começa uma carreira na Força Aérea, o que leva o casal a viajar pelo país e ao redor do mundo: Japão, Tailândia e Etiópia.

Hanna Sturman aproveita para fazer uma formação para trabalhar como funcionária civil das forças armadas dos EUA. Assim, podia continuar trabalhando quando acompanhava o marido no exterior.

Mudança para New Bern

Antes de se aposentar, o senhor Sturman serviu 28 anos em Nova Jersey. O que levou o casal a querer se mudar para New Bern? "Estávamos procurando um lugar adequado, visitamos várias cidades. Gostamos da atmosfera de New Bern e por isso nos instalamos aqui", explica.

O casal não se arrepende: "Os últimos 28 anos passaram voando". E o senhor Sturman que achava que ia passar a aposentadoria jogando golfe…

"Depois de alguns meses ele já estava entediado", conta Hanna Sturman, sorrindo. E assim surgiu a ideia de abrir uma loja de souvenirs que religasse a cidade com a Suíça.

"Achava que a cidade, na época, não aproveitava bem, principalmente turisticamente, suas raízes suíças e de Berna. O símbolo do urso de Berna quase não era usado para promover a cidade", diz John.

Diversificando as lembranças

Um exemplo do reganho de interesse da população pelas raízes suíças da cidade é a iniciativa popular Swiss Bear, Urso Suíço, uma campanha para revitalizar e embelezar o centro histórico.

O aniversário de 300 anos de New Bern, comemorado em 2010 com vários eventos, teve um impacto positivo nos negócios da loja. O casal começou vendendo lembrancinhas da Suíça, mas logo percebeu que precisava diversificar a oferta.

Hoje, a pequena loja da esquina, em frente à prefeitura, oferece souvenirs com produtos da cidade de New Bern, do estado da Carolina do Norte, e até de países como Alemanha e Áustria, além da Suíça, é claro.

O casal viaja regularmente para a Suíça, especialmente para visitar a irmã de Hanna, que mora em Interlaken, mas também para a aquisição de suprimentos para a loja.

um pouco de História

A cidade foi fundada em 1710 pelo suíço Christophe de Graffenried.

New Bern foi a primeira capital do estado americano de Carolina do Norte e é a segunda cidade mais antiga do estado.

Em 1862, as tropas nordistas tomam New Bern dos confederados, durante a Guerra de Secessão.

Hoje, New Bern é uma cidade com cerca de 28.000 habitantes e uma destinação turística no patrimônio histórico americano.

O antigo centro da cidade foi renovado, abriu a frente ribeirinha com hotéis, centro de conferências e uma marina.


Adaptação: Fernando Hirschy, swissinfo.ch



Links

Direitos Autorais

Todos os direitos reservados. O conteúdo do site da swissinfo.ch é protegido por direitos autorais. Ele é destinado apenas para uso privado. Qualquer outro uso do conteúdo do site além do uso acima estipulado, especialmente no que diz respeito à distribuição, modificação, transmissão, armazenagem e cópia, requer a autorização prévia por escrito da swissinfo.ch. Caso você esteja interessado em algum desses tipos de uso do conteúdo do site, entre em contato conosco através do endereço contact@swissinfo.ch.

No que diz respeito ao uso para fins privados, só é permitido o uso de hyperlink para um conteúdo específico e para colocá-lo no seu próprio site ou em um site de terceiros. O conteúdo do site da swissinfo.ch só poderá ser incorporado em um ambiente livre de publicidade sem quaisquer modificações. Especificamente aplicável a todos os softwares, pastas, dados e seus respectivos conteúdos disponibilizados para download no site da swissinfo.ch, uma licença básica, não exclusiva e não transferível é concedida de forma restrita a um único download e gravação de tais dados em dispositivos privados. Todos os outros direitos permanecem sendo de propriedade da swissinfo.ch. Em especial, proíbe-se qualquer venda ou uso comercial desses dados.

×