Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, durante discurso em Courseulles-sur-Mer, em 10 de abril de 2017

(afp_tickers)

O primeiro-ministro do Canadá Justin Trudeau anunciou, nesta terça-feira (3), que vai viajar para Estados Unidos e México e se encontrar com os presidentes Donald Trump e Enrique Peña Nieto, em meio à renegociação do Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta).

O líder do governo canadense vai a Washington nos dias 10 e 11 de outubro, enquanto os dois países se encontram imersos em discussões comerciais - focadas, neste momento, na madeira de construção e nos laticínios do Canadá -, agravadas na semana passada pela decisão americana de impor taxas aduaneiras aos aviões civis da Bombardier.

Depois de Washington, Trudeau vai fazer sua primeira visita oficial ao México nos dias 12 e 13 de outubro, onde vai discutir sobre "comércio" e "cooperação regional" com Peña Nieto.

A viagem vai coincidir com o início da quarta rodada de renegociação do Nafta, já que os representantes de Estados Unidos, Canadá e México devem se reunir entre 11 e 15 de outubro em Washington.

O primeiro-ministro do Canadá vai discutir com Trump "assuntos importantes para os dois países, especialmente da segurança internacional e sua importante relação comercial e econômica", indicou.

Três quartos das exportações canadenses vão para os Estados Unidos, mas as relações bilaterais entre os países estão mais tensas desde que Trump assumiu a presidência em janeiro, por causa de sua ameaça ao Nafta, que considera ruim para os interesses americanos e a geração de empregos no país.

Em seu primeiro encontro na Casa Branca, em meados de fevereiro, o presidente americano e Trudeau tinham reconhecido suas divergências, não apenas nas relações comerciais, mas também a respeito da questão da imigração e dos refugiados.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP