Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Tudo muda! Um século de design dos trens suíços

Um símbolo visto por mais de um milhão de pessoas diariamente pode ser considerado um clássico do design? O Museu Suíço do DesignLink externo em Zurique considera que sim e dedica uma exposição inteira à imagem da Companhia Suíça de Trens (SBBLink externo).

Viajantes que percorrem em trem a Suíça não deixam de ver os grandes relógiosLink externo pendurados nas estações ferroviárias: redondos, com ponteiros sem números, minimalista e agradável de olhar. Além deles, as estações também são decoradas com pictogramas em cores primárias, cuja utilidade é informar usuários sobre o funcionamento das suas instalações.

Os suíços orgulham-se da pontualidade dos trens. Embora a realidade transpareça muitas vezes os problemas enfrentados pelo número crescente de passageiros, esse meio de transporte continua sendo um dos mais importantes no país.

O tradicional relógio ferroviário foi desenvolvido pelo engenheiro Hans Hafiker em 1944. Ele foi construído para assegurar que todos os trens na Suíça estão sempre no horário. Como os planos dos trens marcam suas saídas e chegadas com a exatidão de minutos (e não segundos), o ponteiro de minuto se move com uma pequena diferença de 1,5 segundos após completado o minuto.

Larga escala

A Companhia Suíça de Trens gasta aproximadamente 550 milhões de francos em design e desenvolvimento das estações e áreas urbanas a cada ano. "Com segurança a boa arquitetura é parte da implementação. A SBB chega até a organizar licitações para projetos arquitetônicos. O objetivo não é apenas construir novas instalações, capazes de funcionar por muitas décadas, mas de criar valor agregado", explica o porta-voz Reto Schärli. "Arquitetos importantes construíram as estações mesmo no século 19, como foi o caso da Estação de ZuriqueLink externo, planejada pelo arquiteto Friedrich Wanner. Na segunda metade do século 20, Max Vogt assinou muitos prédios da SBB com sua clara linguagem formal."

Mais recentemente, arquitetos conhecidos como Herzog & de Meuron e Santiago Calatrava trabalham desenvolveram novos designs para a SBB. Porém a expansão imobiliária em terrenos da empresa não é, por vezes, bem recebida pela população. O gigantesco canteiro de obras surgido nas proximidades da estação ferroviária de Zurique é visto por críticos como símbolo da gentrificação na maior cidade suíça.

Como o transporte ferroviário é tão importante na cultura suíça, o governo decidiu nos anos 1990 que a bandeira nacional deveria ter exatamente o mesmo fundo vermelho do logotipo da SBB. Dentre os vários prêmios ganhos pelo pictograma estão o BrunelLink externo.

O Museu Suíço do DesignLink externo convida os passageiros a descobrir um pouco mais da história do design da SBB. A exposição está aberta até 5 de janeiro de 2020.

Aqui termina o infobox

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.